Skip to main content
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Os Melhores em 2010 - As surpresas

Segundo dia dos prêmios-extra oficiais da temporada... hoje, as surpresas do ano...


Não há nada como uma boa surpresa para agitar as coisas no mundo das artes marciais mistas, e o UFC teve muitas interessantes em 2010. E embora os vencedores da segunda parte dos prêmios extra-oficias do ano serem azarões antes de seus combates, é certo dizer que eles não terão esse título junto aos seus nomes tão cedo.        10 - 'El Dirte' mostra à 'Filthy' Tom Lawlor alguns truques  Apesar das cinco vitórias consecutivas e uma enorme experiência em seu retorno ao UFC contra Tom Lawlor, Joe Doerksen era visto por muitos como um obstáculo fácil de ser superado pelo promissor adversário na busca por um salto na carreira. Especialmente considerando que 'Filthy' Tom vinha de uma finalização de apenas 55 segundos sobre C.B. Dollaway e uma controversa derrota por decisão contra Aaron Simpson. E desde o princípio, a luta foi de acordo com o planejado, quando Lawlor balançou Doerksen em pé e parecia estar a um soco de acabar com ele. Mas um veterano como Doerksen não é assim tão fácil de ser batido, e no segundo round, ele voltou com tudo e pegou Lawlor em um mata-leão na marca de 2:10.        9 - Sonnen derrota Marquardt por unanimidade  Todos achavam que o Chael Sonnen seria um teste duro para Nate Marquardt no UFC 109, em fevereiro, mas poucos acreditavam que o wrestler de Oregon iria interromper a sequência de nocautes que Marquardt impôs sobre Martin Kampmann, Wilson Gouveia e Demian Maia. Porém com um jogo agressivo e um ground & pound desumano, Sonnen ditou o ritmo durante os 15 minutos de luta até que o jurados lhe concederem uma merecida vitória por decisão unânime, que também o colocou como desafiante ao cinturão dos médios.        8 - Rafael dos Anjos surpreende Etim    Terry Etim nunca será confundido com seus compatriotas Michael Bisping e Dan Hardy quando se trata de dominar os jornais e sites com citações na semana da luta. Mas depois de quatro vitórias consecutivas no UFC - de outubro de 2008 a novembro de 2009 - ele havia se estabelecido como um dos melhores do Reino Unido. Ao mesmo tempo, Rafael dos Anjos, de uma forma ainda mais silenciosa, se recuperou de um início ruim no UFC com vitórias contra Rob Emerson e Kyle Bradley. E quando Rafael recebeu as honras de 'Finalização da Noite' com um armlock sobre Etim no UFC 112, ele deixou claro que quando se trata de promessas leves, você não pode ignorar este brasileiro.        7 - Pyle anula Hathaway    Quando as suas duas primeiras lutas profissionais são contra Quinton 'Rampage' Jackson e Jon Fitch, é certo dizer que enfrentar um jovem invicto em sua terra natal não vai mexer com você. E esse foi o caso do veterano de 11 anos no esporte, Mike Pyle, quando ele viajou até a Inglaterra para enfrentar John Hathaway em outubro. Sempre no controle da luta, Pyle mão deu nenhuma chance a Hathaway e a vitória por decisão unânime - a maior de Pyle no UFC - foi uma mera formalidade.        6 - Bader mostra quem ele é batendo Minotouro    Ryan Bader tem todas as ferramentas para ser um grande nome na talentosa categoria meio-pesada: atributos físicos, mãos pesadas, wrestling estelar e impulso competitivo. A única coisa que faltava em suas 12 lutas profissionais era a experiência a nível mundial. Então, quando confrontou um legítimo competidor até 93kg em Antônio Rogério 'Minotouro'  Nogueira, muitos esperavam que a diferença de experiência seria muito grande para Bader dar o próximo passo em sua carreira. Não é assim, disse o jovem Bader, e embora sua vitória após três rounds sobre a ex-estrela do Pride não entre na lista de 'Lutas do Ano', seu triunfo foi sólido e impulsionou o vencedor do The Ultimate Fighter 8 para um confronto muito aguardado contra outra estrela em ascenção, Jon Jones,  em fevereiro.        5 - McCorkle mostra mais do que conhecimento na internet contra Hunt    Se você sabia quem era Sean McCorkle antes de sua estréia no UFC 119 contra Mark Hunt, ou você é um ultra-viciado em MMA ou um membro do fórum Underground. O resto de vocês estava querendo saber o que provavelmente o invicto pesado de Indiana tinha feito para aborrecer o matchmaker do UFC Joe Silva, pois não havia como ele fazer frente a ex-estrela do Pride e do K-1, Mark Hunt. Então a campainha tocou, e o herói da cidade lutou como se estivesse no octógono desde que nasceu, uma vez que finalizou Hunt com facilidade em apenas 67 segundos. Adicione sua luta mais recente contra Stefan Struve (embora tenha sido derrotado), e a notoriedade do 'Big Sexy' ampliou-se para muito além da internet.        4 - Beltran estraga o retorno dos Gracies    O sobrenome Gracie é a realeza no UFC, e com razão. Então, quando invicto Rolles Gracie tornou-se o primeiro membro da primeira família do MMA a aparecer no octógono desde seu primo Royce em 2006, foi um grande negócio. E quando Joey Beltran foi convidado para substituir (de última hora) Mustapha Al Turk contra Rolles, ninguém dava chances para ele, apesar do 'The Mexecutioner' ter nocauteado Houston Alexander algumas semanas antes . Mas Beltran não estava entrando para perder, e depois de superar um início complicado, ele bateu Rolles com socos aos 1:31 do segundo round, chocando o mundo do MMA.        3 - Hathaway se torna um pesadelo para Sanchez     John Hathaway da Inglaterra foi sólido em suas vitórias no UFC contra Tom Egan, Rick Story e Paul Taylor, mas poucos achavam que o atleta de 22 anos pudesse lidar com o veterano Diego Sanchez, que enfrentou em suas últimas três lutas BJ Penn, Clay Guida e Joe Stevenson. Porém Hathaway não pensava dessa forma e deu um 'bem vindo de volta' a Sanchez na divisão meio-média com um jogo magnífico que não deixou qualquer dúvida sobre quem era o vencedor após três rounds. Era 'The Hitman'.
    2 - Russow nocauteia Duffee    Depois de um KO de sete segundos sobre Tim Hague, que estabeleceu um novo recorde para o mais rápido nocaute no UFC, Todd Duffee seria favorito diante de um grande número de pessoas, incluindo seu segundo oponente no octógono, Mike Russow. E, por grande parte da sua luta no UFC 114, em maio, as coisas correram como esperado, Duffee acertava Russow com tudo, deixando a impressão que um nocaute aconteceria logo. Bem, aconteceria se Russow não tivesse largado uma direita que pegou em cheio em Duffee, terminando o combate aos 2:35 do round final e encerrando uma das maiores e mais espetaculares viradas na história recente.
     1 - Edgar impressiona Penn  
Nenhuma surpresa quando chegamos ao topo da lista aqui, mas foi uma surpresa em Abu Dhabi, em abril, quando o pequeno nativo de New Jersey, Frankie Edgar, teve um impressionante desempenho ao derrotar o campeão peso leve do UFC, BJ Penn, pelo cinturão da categoria. A luta foi competitiva e complicada de se julgar, por isso existiam algumas dúvidas se a movimentação e as quedas de Edgar solidificaram a decisão unânime para o novo campeão. Se isso não foi o bastante, Edgar repetiu a proeza de forma mais dominante, quatro meses depois, provando que a primeira vitória não foi por acaso.      Menção Honrosa: Dave Branch- Tomasz Drwal, Chris Leben-Yoshihiro Akiyama, Dennis Hallman-Ben Saunders, Frankie Edgar-BJ Penn II, Yushin Okami-Nate Marquardt, Nik Lentz-Tyson Griffin, Charles Oliveira-Efrain Escudero, Evan Dunham-Tyson Griffin