Skip to main content

Yuri Marajó: Negócios são negócios

Lutadores até já moraram na mesma casa, mas o profissionalismo vem em primeiro lugar

Yuri Marajóufc.tv/photo_galleries/UFC147_Weighins/UFC147_Weighins_44.jpg" align="left">Depois da derrota para Hacran Dias no UFC 147, Yuri “Marajo” Alcantara desceu para a categoria de galos (61 kg), mas a estreia na nova divisão não foi como imaginava. Apesar do domínio sobre Pedro Nobre, no UFC São Paulo, o confronto acabou sem resultado (no contest), pois o oponente alegou golpes ilegais e não conseguiu prosseguir. Agora o atleta do Pará vem sedento por vitória contra Iliarde Santos no UFC no Combate 2 – Belfort x Rockhold, em Jaraguá do Sul, no próximo sábado.

“Com certeza estou com muita vontade e bastante focado. Meu adversário trocou, vou ter pela frente um cara que conheço, mas somos profissional em primeiro lugar. Vamos dar show!”, garante o lutador.

Yuri (26v-4d-1NC) teria Marcos Vina pela frente em Jaraguá do Sul, mas o oponente se contundiu e em seu lugar entrou o experiente Iliarde Santos, que possui 27 vitórias e seis derrotas, além de um empate e um no contest. O detalhe é que além de ambos serem do Pará, já se conhecem há bastante tempo e até moraram juntos.

“Treinamos juntos e moramos juntos em Londrina, éramos da mesma equipe. Mas houve essa oportunidade e ele tinha que agarrar. Na verdade, fico feliz por ele. Nós dois temos família para cuidar, somos profissionais e vamos lutar numa boa. Vamos sair na mão naquele Octógono”, diz Marajó.

Marajó conta com 11 nocautes e 12 finalizações no cartel, enquanto Iliarde tem 12 nocautes e seis finalizações. Ambos são conhecidos por mostrarem bastante raça dentro do cercado. O desafio promete.

“Me preparei no meu estado mesmo, foi tudo muito bom e agora só espero a hora de lutar. Dessa vez priorizei o wrestling, as quedas e defesa de quedas. Mas não deixei de lado o restante, com boxe, muay thai e muito jiu-jitsu com o meu professor, o Frankiko. Estou bem preparado”, avisa.

Uma vitória pode colocar Iuri numa boa situação na categoria de galos. O lutador é uma das apostas brasileiras na divisão, hoje dominada pelo também tupiniquim Renan Barão.

“É uma categoria em que me sinto forte, confortável e espero me levantar com essa vitória, subir no ranking. Quem sabe logo não lute pelo cinturão, ou pelo menos uma luta que me dê a chance de disputá-lo? Enfim, isso é o UFC que decide e quando eles quiserem estarei pronto. Esta e a minha vida, o meu sonho. Estarei sempre preparado para o que eles quiserem. Mas, antes de tudo, tenho que vencer esta luta.”

Para que isso ocorra – uma chance pelo título -, Iuri sabe que não adianta apenas vencer seus desafios, é necessário vencer e empolgar.

“Podem me esperar bastante agressivo, seja no chão ou na trocação. Como sempre, vou lutar para buscar o nocaute”, encerra.