Skip to main content

Wolverine chega no "sapatinho" contra Dillashaw

"Antes de tentar me derrubar, vai ter que trocar em pé e estarei com a mão dura, o jogo mais solto e com algumas surpresas também. Estou com muitas armas para usar." - Hugo "Wolverine" Viana

Wolverine e seu técnico DóreaHugo "Wolverine" Viana será o representante brasileiro no UFC Henderson x Melendez, neste sábado, em San Jose. Contra TJ Dillashaw, ele busca a oitava vitória na carreira, resultado que mantém o cartel invicto. Atleta contratado pelo UFC depois de chegar até a semifinal do The Ultimate Fighter Brasil 1, Wolverine faz a terceira apresentação na organização, a segunda no peso galo. Na primeira vez pela categoria, no TUF 16 Finale, Hugo mostrou refinamento técnico e conseguiu um belo nocaute contra Reuben Duran, ainda no primeiro round.                   "Confiança. Aprendi a confiar no meu trabalho e isso hoje me dá muita tranqüilidade", explica. "A experiência no TUF Brasil me fez amadurecer em diversos sentidos. Esta confiança foi determinante para eu soltar mais meu jogo dentro do Octógono. O nocaute na última luta (primeiro da carreira) é fruto disso, do trabalho que venho fazendo. Para o Dillashaw, segui nesta mesma linha, com os mesmos treinadores e sparrings. Hoje sou mais tranquilo, maduro e mais forte", completa.                   Wolverine viajou para os EUA na última segunda-feira. Sua confiança para o desafio não se resumia ao camp de treinamentos. O corte de peso, processo desgastante e calvário de muitos lutadores, parece ser menos sacrificante para o baiano.             "Minha última luta foi a primeira neste peso, nunca havia batido 61kg e fui muito bem. Venho desenvolvendo este trabalho, tenho bom acompanhamento neste sentido e estou mais disciplinado. Já viajo num peso legal. Outro fato importante é o clima na Califórnia, que não é tão diferente do brasileiro, isso favorece."                   TJ Dillashaw (7v-1d) vem de três bons resultados no UFC e não será um oponente fácil. Nas duas últimas apresentações, nocauteou Vaughan Lee e finalizou Issei Tamura.             "Ele é duríssimo. Tem qualidade técnica e coração, muita vontade de vencer... Estou acostumado com atletas assim. Ele vem do wrestling e deve procurar me derrubar, mas trabalhamos em cima disso. Estou preparado para impedir o jogo dele. Antes de tentar me derrubar, vai ter que trocar em pé e estarei com a mão dura, o jogo mais solto e com algumas surpresas também. Estou com muitas armas para usar."           Hugo fez parte do seu treinamento em São Paulo, onde aproveitou para afiar o wrestling com alguns membros da seleção brasileira. Por lá, também reforçou seu boxe, uma das principais armas dentro do Octógono.              "Em Sampa trabalho meu boxe com o Joilson Santos, ele me deixa amaciado para voltar a Salvador e o (Luiz) Dórea me lapidar. Em Salvador e engatei a parte final com o Dórea, o Bruno Menezes e o restante da equipe. Eles me afiam definitivamente para a luta", conta ele, que também pode surpreender com chutes, já que é faixa-preta de taekwondo.               Uma boa vitória contra Dillashaw será um grande passo para Hugo dentro da categoria. Mesmo assim, o lutador é cauteloso numa projeção ao título, hoje dividido por Renan Barão (interino) e o contundido Dominick Cruz.                "Sinceramente, vejo essa luta ainda como uma preparação, a categoria tem muitos atletas duros. Estou chegando agora, no sapatinho. Penso em um passo após o outro. O Dillashaw vai ser o cara mais duro que enfrentei. Vencendo ele, acho que ficarei entre os dez da divisão. Por enquanto, essa é a minha meta. Mantenho a humildade e vou comendo pelas beiradas, degrau por degrau."            Comendo pelas beiradas, degrau por degrau, passo a passo... Seja como for, Wolverine segue adquirindo experiência e se consolida entre os principais concorrentes do peso galo. Se fizer o que promete neste sábado, virão bons dias dentro do UFC.                  "A torcida pode esperar um show de luta, com trocação e surpresas. Teremos emoção e tensão. Estou cada vez mais perigoso e vou para dar tudo, mostrar o que venho treinando.