Skip to main content

Treinador de JJ do Time Vitor, Gilbert Durinho

O jiu-jitsu é a arte em que o lutador acaba com as chances do oponente através das finalizações: torções e estrangulamentos. Para ajudar os lutadores do Time Vitor neste quesito do MMA, Gilbert Burns, o Durinho, é o técnico responsável.  Confira abaixo o perfil de mais um dos treinadores do TUF Brasil.

Veloz, intenso, ágil e objetivo. Essas são algumas das características do jiu-jitsu de Gilbert Burns, um dos treinadores da equipe comandada por Vitor Belfort no TUF Brasil. Durinho, como é conhecido no mundo da luta, tem um currículo impecável na arte desenvolvida pela família Gracie, um trunfo na preparação do Time Vitor contra o Time Wanderlei no reality show do UFC.

O primeiro contato com as lutas foi ainda criança. Ao lado dos dois irmãos, Durinho treinava karatê em casa. Aos 12 anos de idade veio o jiu-jitsu. O pai, que trabalhava como estofador de carros, fez um serviço e aceitou como pagamento três meses de academia para os filhos. A partir daí, Durinho lapidou suas técnicas em algumas das forças da arte suave no Brasil, academias como Oriente, Nova União e Atos. Nas duas últimas, respectivamente, teve a oportunidade de treinar com André Pederneiras - atual técnico do campeão de penas do UFC, José Aldo - e Ramon Lemos – treinador de ninguém menos que Anderson Silva, campeão peso médio do Ultimate.   

Na luta agarrada, sua especialidade, o faixa-preta possui os principais títulos. Entre eles, o Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu com e sem kimono, além do ouro no Mundial Profissional, competição realizada em Abu Dhabi. Através das lutas, Durinho saiu da sua cidade natal, Niterói, e se tornou um cidadão do mundo. E foi nessas andanças que se tornou companheiro de Vitor Belfort. Numa sessão de fotos para um patrocinador em comum, Belfort gostou das técnicas de Gilbert e o convidou para a sua equipe, em Las Vegas.

Durinho treinou com Vitor para as lutas contra Yoshihiro Akiyama e Anthony Jonhson, as duas últimas apresentações do “Fenômeno”. Na primeira, no UFC 133, Belfort nocauteou em apenas 1min52s. Já na segunda, no UFC 142, usou a luta agarrada e finalizou com um mata-leão aos 4min49s. Vitor não vencia por finalização desde 2001, um intervalo de quase 11 anos, que se encerrou depois de incorporar um campeão mundial de jiu-jitsu ao seu cotidiano de treinamentos.

Foi também graças a essa modalidade que Durinho chegou à vitória na sua estreia no MMA profissional, após aplicar um mata-leão contra José Salgado, em janeiro deste ano. O treinador do time de cor verde no TUF Brasil espera um dia ser um ídolo no MMA, assim como Belfort. Para isso, a experiência no reality show vai ser fundamental.

“Quando o Vitor me convidou para ser treinador do TUF foi incrível. Já assisti a outras edições e sabia que seria uma experiência única, ainda mais por ser a primeira no Brasil. Sabia que isso iria acrescentar muito em mim, não apenas como treinador, mas como atleta também. Nosso trabalho na casa não é mole, realmente treinamos para valer com todos os lutadores, saímos no pau com a galera”, comenta Durinho.

“Olha, essa vai ser uma edição incrível do TUF. Primeiro por toda a rivalidade entre os capitães, o Vitor e o Wanderlei Silva, uma luta que todos vão querer ver. Além disso, o programa mostra o talento dos lutadores brasileiros. Repare que são atletas de todos os cantos do Brasil, todos muito habilidosos. Só posso dizer uma coisa: não deixem de assistir, pois os combates têm alto nível. Vem muita emoção pela frente!”, encerra.