Skip to main content
Eventos

Top 10: as melhores lutas do UFC em maio

Confira os dez combates que você não pode perder neste mês

Em alguns momentos do ano, alguém menciona em que mês estamos e eu olho para eles intrigados e me pergunto: “Como isso é possível?” Este é um desses momentos.

Apesar de apenas três eventos terem acontecido no mês passado, abril foi de emoções ininterruptas dentro do Octógono, já que contou com excelentes desempenhos, dois grandes momentos de revelação e entregou o líder na corrida pela Luta do Ano. Entrando no mês com Justin Gaethje encerrando o UFC Filadélfia como só ele pode, e com a expectativa para o UFC 236 na última semana do calendário, foi um evento divertido após o outro.

E este mês funciona na ordem inversa.

Em vez de ter a chance de recuperar o fôlego no início do mês, a lista de eventos marcados para o Octógono em maio já começa com um retorno a Ottawa, seguido por um evento crucial no Rio de Janeiro, o primeiro evento em Rochester, Nova York - que pode ser o melhor card de ponta a ponta neste grupo - e um final de semana livre para resetar, passar tempo com amigos e familiares e se animar para o que com certeza será um junho incrível.

Abril foi maravilhoso, mas agora é hora de mudar para maio.

Aqui está uma olhada nas lutas que mais me animam no mês que está começando.

Este é o Top 10.

UFC OTTAWA – SÁBADO, 4 DE MAIO
CUB SWANSON X SHANE BURGOS

Da última vez em que Swanson lutou contra um peso-pena mais jovem, que procurava subir no ranking às custas dele no Canadá, algo especial aconteceu. Encarando Dooho Choi no UFC 206, “Killer Cub” ganhou uma decisão unânime sobre “The Korean Superboy” em uma luta que foi imediatamente anunciada como a Luta do Ano e ainda se destaca como uma das mais divertidas e emocionantes batalhas de três rounds na história do UFC.

Depois de conquistar uma vitória sobre Artem Lobov, Swanson se deparou com três dos maiores talentos da divisão - Brian Ortega, Frankie Edgar e Renato Moicano – e acabou no lado errado do resultado nas três ocasiões. Apesar dos resultados pouco inspiradores, não há como negar as habilidades ou o coração de Swanson, já que ele continua sendo um dos mais fortes e bem equilibrados dos penas.

Burgos começou sua campanha em 2018 com um divertido embate contra Calvin Kattar no UFC 220, em Boston, que ganhou o prêmio de Luta da Noite, mas o atropelou com sua primeira derrota profissional. Ele retornou em novembro para marcar uma vitória no primeiro round sobre Kurt Holobaugh em outro confronto emocionante, e é por isso que a antecipação para essa é tão alta.

Nenhum desses homens é capaz de fazer lutas chatas, e quando eles entrarem juntos no sábado, em Ottawa, o potencial para algo especial acontecer é bem alto.

Al Iaquinta vs. Donald Cerrone

Cerrone surpreendeu muitos quando, depois de sua vitória sobre Mike Perry em novembro, declarou que estava voltando ao peso leve com planos de disputar o título. Sean Shelby, matchmaker do UFC, não fez nenhum favor a ele em sua primeira luta de volta aos 70kg, emparelhando o veterano contra o agressivo novato Alexander Hernandez.

No verdadeiro estilo “Cowboy”, Cerrone quebrou o jovem potro, sinalizando seu retorno à disputa na categoria leve, ao mesmo tempo em que deu a ele a 22ª vitória no UFC.

O ano passado foi um redemoinho para Iaquinta, que pulou de para quedas em uma luta pelo cinturão contra Khabib Nurmagomedov no UFC 223, no Brooklyn, e teve um bom desempenho contra o invicto atleta. Oito meses depois, ele finalmente enfrentou Kevin Lee, batendo “The Motown Phenom” pela segunda vez para finalizar o retorno do UFC a Milwaukee.

Agora, os dois colidem em um confronto entre dois ranqueados buscando ampliar seus respectivos casos para uma disputa de título, já que os negócios na divisão dos leves realmente começam a melhorar. Será que Cerrone pode continuar abrindo caminho para o título ou "Raging Al" marcará a maior vitória de sua carreira e fortalecerá sua posição na corrida pelo campeonato?

UFC 237 – SÁBADO, 11 DE MAIO
JOSE ALDO X ALEXANDER VOLKANOVSKI

Swanson-Burgos pode ser a primeira grande luta do peso-pena no calendário deste mês, mas esta é certamente a maior.

Muitas pessoas entraram 2019 se perguntando o que Aldo ainda tinha a oferecer depois que o campeão de longa data sofreu derrotas seguidas para Max Holloway em 2018. Bem, a lenda brasileira respondeu a essas perguntas com um retumbante “Muita coisa!” ao vencer consecutivamente por nocaute Jeremy Stephens e Renato Moicano, ganhando um bônus de Performance da noite a cada vez.

Apesar de Israel Adesanya ter recebido muita atenção no ano passado, “The Last Stylebender” não foi o único lutador representando a região oceânica a ter uma memorável campanha em 2018, com Volkanovski marcando 3 a 0 ao dar a Jeremy Kennedy sua primeira derrota profissional, brutalizando Darren Elkins e batendo Chad Mendes.

Agora, o ex-jogador de rugby tem a chance de provar que deve ser o primeiro na linha a desafiar Holloway pelo título do peso-pena quando "Blessed" estiver pronto para voltar aos negócios ao se tornar apenas o terceiro lutador a derrotar Aldo dentro do Octógono. Mas como o campeão de longa data provou no ano passado, é muito mais fácil falar do que fazer.

Essa será uma luta explosiva a partir do momento em que o árbitro disser “valendo!”

JARED CANNONIER X ANDERSON SILVA

A transformação de Cannonier de um peso-pesado pequeno em um intrigante peso médio foi incrível, já que ele chegou nos 84kg em novembro passado e prontamente eliminou David Branch. Como bis, ele está se aventurando no Rio para enfrentar o maior lutador da história da divisão.

Silva retornou de um hiato de dois anos em fevereiro, deixando uma decisão unânime para Adesanya em uma luta tensa e parelha, onde o campeão de longa data mostrou que ele ainda é capaz de competir com a elite da divisão. Apesar de ter registrado apenas uma vitória nos últimos cinco anos, alguém ficaria surpreso se “The Spider” retornasse ao Rio e entregasse uma joia contra o perigoso Cannonier?

O topo da divisão dos médios está atualmente passando por reformas e esta é uma excelente oportunidade para o recém-chegado de 35 anos de idade fazer seu currículo pela disputa pelo título, ganhando uma vitória enfática. Ao mesmo tempo, lutando no Brasil pela primeira vez em mais de cinco anos, este pode ser o momento em que Silva dá a volta no tempo e oferece uma performance virtuosa diante do que certamente será uma multidão vocal e partidária no Rio.

ROSE NAMAJUNAS X JESSICA ANDRADE, PELO CINTURÃO PESO-PALHA

Desafiante ao cinturão peso-palha na luta principal do UFC 237, dia 11 de maio no Rio de Janeiro, Jéssica Bate-Estaca assiste e analisa sua vitória mais recente, por nocaute sobre Karolina Kowalkiewicz. Confira!


Essa luta tem o potencial para ir em tantas direções diferentes, e cada uma delas é intrigante – o que faz dessa luta ser facilmente a que mais quero ver neste mês. Mesmo que o título peso-palha não estivesse em jogo, as dinâmicas de Namajunas e Andrade se enfrentando são incríveis, e essa luta pode se tornar um clássico.

Por mais estranho que isso possa parecer para alguns, eu não acho que nós demos o devido valor ao que Namajunas fez ao longo de suas últimas três lutas. Ela absolutamente demoliu Michelle Waterson para ganhar uma chance pelo título e depois chocou praticamente todos ao destronar Joanna Jedrzejczyk com um esforço magistral no UFC 217. Cinco meses depois, ela se recuperou na quinta rodada de sua revanche com o destaque polonês para defender seu título com sucesso.

A campeã de 26 anos de idade se transformou no dínamo que todos imaginavam quando ela se aventurou na carreira profissionai, e pode muito bem estar nos estágios iniciais de uma corrida incrível no topo da categoria até 52kg.

Quando essas duas subirem ao Octógono no Rio, terão passado 103 semanas desde que Andrade desafiou sem sucesso Jedrzejczyk pelo título no UFC 211 em Dallas, Texas. Apesar de ter sido agressiva, Andrade nunca foi capaz de realmente ameaçar o campeão e sofreu sua primeira derrota desde que mudou para a divisão após sete lutas no peso-galo.

Desde então, a poderosa representante do Paraná Vale Tudo lançou o plano de como ganhar mais uma chance de título em um período de tempo relativamente curto. Primeiro ela caminhou Claudia Gadelha no Japão antes de se aventurar na Flórida e superar Tecia Torres, e encerrar sua campanha de 2018 retornando ao palco de sua derrota para Jedrzejczyk e nocauteando Karolina Kowalkiewicz.

Este é um confronto incrivelmente atraente que tem o potencial de ser tão empolgante quanto as lutas de títulos interinos do mês passado.

UFC ROCHESTER – SÁBADO, 18 DE MAIO
ANTÔNIO CARLOS JR. X IAN HEINISCH

Lembra quando eu disse que o topo da divisão dos médios está passando por reformas? A verdade é que toda a divisão está em construção e esta luta será fator importante em como tudo é colocado na segunda metade do ano.

Desde que sofreu uma derrota por TKO contra Dan Kelly em março de 2016, Carlos Junior tem cinco vitórias seguidas e entra nesta com três vitórias consecutivas. O campeão mundial de grappling finalmente descobriu que seu melhor caminho para a vitória (e potencialmente o sucesso) é fazer como Demian Maia, e digo isso da maneira mais reverente e respeitosa possível.

Quando você tem habilidades de jiu-jítsu de classe mundial, como Maia e Cara de Sapato, tudo é sobre encurtar e colocar as mãos nas pessoas. E desde que o ex-vencedor do TUF se comprometeu a lutar no chão quase exclusivamente, seus resultados foram surpreendentes.

Heinisch é outro dos novatos de 2018 cujo sucesso imediato no Octógono passou quase batido por causa das grandes performances entregues por vários outros lutadores.

Depois de uma exibição impressionante no Contender Series, “The Hurricane” se aventurou na Argentina ao aceitar um combate de última hora e conquistou uma vitória por decisão unânime sobre Cezar Ferreira em sua primeira aparição no Octógono. Agora em uma sequência de quatro vitórias, o representante da Factory X busca torná-lo cinco, revertendo outro talentoso peso médio brasileiro em uma batalha que deve impulsionar o vencedor para o Top 15.

MEGAN ANDERSON X FELICIA SPENCER

Este confronto entre as duas últimas mulheres a ostentarem o título peso-pena do Invicta FC poderá muito bem ter implicações no título, já que Anderson dá as boas-vindas à invicta Spencer ao Octógono.

Depois de perder sua tão esperada estreia no UFC 225 em junho para Holly Holm, Anderson se recuperou com uma vitória no primeiro round sobre Cat Zingano em dezembro. Infelizmente para a talentosa australiana, a conclusão da luta foi um pouco anticlimática, já que Zingano sofreu uma lesão no olho e não pôde continuar.

Agora, a lesão ocorreu porque Anderson chutou o rosto Zingano, e seu dedo do pé acertou o olho da ex-desafiante, mas ainda deixou muitos, incluindo Anderson, com toda a probabilidade, um pouco insatisfeitos.

Spencer chega ao UFC com seis vitórias seguidas, incluindo um triunfo sobre Pam Sorenson em disputa de título no Invicta FC 32, em novembro passado. Nascida em Montreal, a professora de matemática vive em Orlando e é faixa preta no jiu-jítsu brasileiro, vencendo três de suas últimas quatro lutas por finalização. Como Anderson, a invicta "Feenom" é uma verdadeira peso-pena e agora ela tem a oportunidade de desafiar-se contra uma das melhores lutadoras de 66kg do planeta.

Independentemente de ser ou não uma eliminatória pelo título, esta deve responder à miríade de perguntas que ainda restam sobre Anderson e fornecer uma visão clara sobre onde Spencer se encaixa na categoria peso-pena.

ASPEN LADD X SIJARA EUBANKS

Ladd pode ter tido o desempenho mais discreto do ano em 2018, quando entrou no UFC 229 e desmantelou completamente a ex-campeã do Invicta FC, Tonya Evinger. Foi o tipo de performance desproporcionalmente dominante que tradicionalmente teria sido falada por dias a fio mas, infelizmente, algumas histórias muito maiores se desenvolveram no final da noite e a vitória da atleta de 24 anos acabou esquecida.

Agora, depois de uma luta com Holly Holm ter sido cancelada apenas um mês antes do previsto, a estrela em ascensão invicta está escalada para enfrentar Eubanks pela segunda vez, quando a ex-finalista do TUF faz sua estreia no peso-galo.

A carreira de Eubanks na UFC até agora consistiu em fortes performances e dificuldades com a balança, já que ela perdeu a oportunidade de lutar pelo título peso-mosca após ser hospitalizada com problemas renais na noite antes de sua luta com Nicco Montaño. Depois de registrar uma vitória sobre Lauren Murphy em sua estreia promocional, sem quaisquer problemas, "SarJ" veio acima do limite do peso-mosca para sua luta com Roxanne Modafferi no UFC 230.

Apesar de ter vencido a luta com bastante facilidade, seus dias de luta com 57kg agora estão oficialmente no passado, já que a aluna de Mark Henry agora sobe ao peso-galo procurando vingar sua derrota de janeiro de 2017 para Ladd. Se conseguir derrubar a invicta estrela em ascensão, Eubanks irá usurpar seu lugar no ranking e imediatamente se inserir na conversa do título com dos 61kg.

NEIL MAGNY X VICENTE LUQUE

Olha, se você não está totalmente a bordo do hype train de Luque depois do que ele e Bryan Barberena entregaram no início deste ano no deserto de Phoenix, eu não sei o que te dizer. Antes da luta pelo título interino do mês passado, era o líder na lista de Luta do Ano e o fato de que Luque encerrou nocauteando “Bam Bam” nos segundos finais fez com que fosse muito mais impressionante.

O brasileiro já venceu quatro seguidas e oito de suas últimas nove, todas por paralisação, com sua única derrota frente ao craque Leon Edwards. Ele é tão perigoso no chão como em pé e mostrou sua resistência e tenacidade na última vez contra Barberena, então realmente me surpreenderia se alguém que se considera um fã de luta não estivesse absolutamente animado sobre seu retorno no final deste mês.

O que aumenta a empolgação é que ele está retornando contra Magny, um top 15 que se estabeleceu em um papel de alguém que está segurando a prancheta com nomes na frente da fila VIP. Para ser considerado um verdadeiro lutador de elite, você precisa passar por Magny, que tem um cartel 13-4 desde o início de sua carreira no UFC.

O membro do Elevation Fight Team ficou no lado errado de um nocaute no quarto round contra Santiago Ponzinibbio em Buenos Aires, Argentina, mas ele não perdeu consecutivamente desde os primeiros contratempos do UFC contra Sergio Moraes e Seth Baczynski e tem uma riqueza de experiência de ponta para aproveitar enquanto recebe Luque para o próximo nível de competição nos 77kg.

RAFAEL DOS ANJOS X KEVIN LEE

Mesmo que ambos os atletas venham de derrotas, há uma tonelada de coisas sobre essa luta que me intriga.

Foi um conto de dois traços para Dos Anjos desde que se mudou para os meio-médios: primeiro, ele teve três vitórias consecutivas e parecia uma nova adição potencialmente dominante, mas desde então, ele perdeu, sendo dominado por wrestlers de potência. Claro, esses wrestlers são Kamaru Usman e Colby Covington, então não é como se ele fosse derrotado por qualquer um.

Além de querer descobrir se pode retornar à forma de 2017, será interessante ver como Lee lida com a mudança para o meio-médio, já que o defensor de longa data para a criação de uma categoria de peso 75kg vai se testar nos 77kg após perder por decisão unânime para Al Iaquinta no final do ano passado.

Quanto seus esforços para bater 70kg impactaram suas performances? Competir no meio-médio vai ser uma nova fase para o talentoso nativo de Detroit? Será que ele pode fazer um impacto imediato marcando uma vitória sobre um top 10 como Dos Anjos, ou será que o veterano brasileiro colocará Lee na primeira sequência de derrotas de sua carreira?

Tantas perguntas e tantos dias para esperar até conseguir respostas; pelo menos há uma tonelada de lutas divertidas entre agora e depois para me ajudar.