Skip to main content

Stefan Struve - "O Jovem Veterano"

Por Denis Martins

Stefan 'Skyscraper' Struve, o atleta mais alto do UFC atualmente (2,11cm), chegou a sua terceira vitória em quatro lutas pela organização no último sábado, no UFC 107. Enfrentando o veterano Paul Buentello, Struve, de 21 anos de idade, começou com o mesmo volume de chão que lhe rendeu duas vitórias nas últimas apresentações. Logo no round inicial ele aproveitou um vacilo do experiente Buentello e levou para baixo, onde montou e pegou as costas. O mata-leão parecia ser questão de tempo, uma vez que o gigantesco europeu fechou um cadeado em busca do estrangulamento. Mas Buentello resistiu a 'blitz'.

No segundo assalto, Struve quase botou tudo a perder ao insistir em uma joelhada - que já tinha mostrado que não funcionaria aos 25 segundos - pagando por isso ao sofrer uma direita que o levou ao chão. Nesse período da luta, Buentello não deixou seu adversário usar sua maior envergadura e foi melhor. No round final os chutes nas pernas foram decisivos para consolidar o resultado positivo a favor de Struve por decisão majoritária. Vitória que, sinceramente, não agradou o holandês.  

    

"Eu não me sinto como o vencedor," ele disse. "Eu acho que esta luta estava mais para um empate."     

E talvez um dos motivos da insatisfação do atleta holandês tenha sido a despretensiosa joelhada voadora que quase foi responsável pelo seu revés no segundo assalto.      

"Honestamente ele me acertou com aquela direita, mas não fiquei tão mal, só um pouco tonto. De qualquer forma não estou feliz com meu desempenho, me desculpem." Ele disse, dirigindo-se a platéia.     

O principal problema de Struve, em seu combate número quatro dentro do UFC, foi não tentar fazer no segundo assalto o que tinha sido bem sucedido no primeiro. E isso, aliado ao seu excesso de confiança na envergadura e um cansaço pelo esforço inicial, foram cruciais para deixar Buentello em vantagem.   

  

"Eu não venço lutas por decisão, eu as finalizo." Disse Struve sobre sua primeira vitória por decisão na carreira. "Você ganha algumas, perdes outras. Você perde algumas lutas boas e ganha lutas ruins. Estou feliz com a vitória, mas não com meu desempenho."   

    

Independente do resultado, Struve confirmou a boa fase dentro do Octagon e conseguiu manter uma campanha quase impecável durante 2009. Se a estréia, há 10 meses, não foi das melhores. Struve saiu derrotado em menos de um minuto pelo brasileiro Junior 'Cigano' dos Santos no UFC 95. O atleta capitalizou o início tempestuoso e manteve uma média que muitos atletas gostariam; lutar quatro vezes em 12 meses.   

"Minha preparação não foi das melhores (para a luta contra o Buentello)," ele disse. "Mas eu já me sinto bem entrando para lutar no Octagon. Eu já me sinto como nas lutas que fiz antes de entrar no UFC, confortável e relaxado, e foi assim que basicamente ganhei quase todas."    

 

E foram quase todas mesmo. Antes de entrar no UFC, Struve ostentava um recorde de 16-2, com incríveis 12 vitórias por finalização. O que deixava claro que o a Zuffa tinha adquirido um exímio lutador de chão que tinha batido atletas do calibre do faixa-preta de jiu-jitsu Mario "Sukata" Neto. Sendo assim, dentro do Octagon não seria diferente, e Struve provou isso ao derrotar com um mata- leão Denis Stojnic (UFC 99) e faturar a finalização da noite sobre Chase Gormley com um triângulo (UFC 104).    

"Se a luta for para o chão, eu sempre estarei buscando finalizar," ele disse. "E isso acontecendo no UFC não seria nada mal conseguir outra finalização da noite (risos)."  

Com as finalizações como carro chefe, aparentemente Struve tem como principal arma o triângulo. Não porque ele conseguiu faturar o prêmio de finalização da noite com ele, mas pela quantidade de vitórias (sete) proporcionadas pelo letal triângulo. Então, olhando as dimensões do holandês, 2,11cm, ficaria fácil apontar as longas pernas como as razões, entretanto Struve aponta em outra direção. 

"Eu já consegui outros tipos de finalização," ele disse sobre os estrangulamentos e armlocks. "Mas atualmente estão abrindo mais espaços para triângulos. Uma coisa é certa, se vacilarem, por menos que seja, vão pagar com uma finalização." 

A Holanda, país onde Struve nasceu, tem tradição em produzir alguns dos melhores strikers to cenário mundial. Então esperar que o atleta natural da cidade de Beverwijk e parte integrante da equipe do veterano do Pride, Bob Schrijber, um nocauteador nato, fosse um trocador também ao invés de um lutador de chão era quase óbvio. Mas o peso pesado do UFC tem uma explicação para a postura mais voltada para a luta de chão. 

"Minha envergadura é muito maior do que a da maioria dos meus adversários e por ter um jogo em pé sólido quase ninguém quer trocar comigo," ele disse desconsiderando um pouco sua primeira e ultima lutas no UFC. "Então tentam me levar para baixo e eu acabo ficando de costas no chão. Por esse motivo me interessei em treinar mais jiu-jitsu e comecei a desenvolver meu chão até o ponto onde ele está agora."   

Struve é o tipo de lutador que podemos chamar de 'o jovem experiente', com apenas 21 anos de idade, lutando MMA há quatro anos, e com um recorde de 19-3, ele ainda tem um longo caminho pela frente. O ano de 2010 deverá ser crucial em sua carreira, uma vez que ele entra respaldado pelo que fez nas últimas lutas e pelo potencial de querer topar com qualquer um. 

"Eu sou um cara novo que está apenas começando no UFC e estou tranqüilo sobre quem será meu próximo adversário." Ele diz para em seguida revelar como em tão pouco tempo ele já possui tantas lutas. "Eu nunca fiquei muito tempo afastado dos treinos e sempre dei meu máximo. É claro que precisamos ter um pouco de talento, como em qualquer esporte, mas trabalhar duro é a chave para usar suas habilidades ao máximo."