Skip to main content

Reinventando Wanderlei Silva

Por Thomas Gerbasi - Com todo o respeito devido à versão de 1986-89 de Mike Tyson, de agosto de 2000 a outubro de 2004, Wanderlei Silva foi o homem mais perigoso no planeta.

Por Thomas Gerbasi 

Com todo o respeito devido à versão de 1986-89 de Mike Tyson, de agosto de 2000 a outubro de 2004, Wanderlei Silva foi o homem mais perigoso no planeta.  

 

15-0-1 com 1 No Contest durante esse período, o homem apelidado de "The Axe Murderer" era um furacão de terror nos ringues japoneses da organização Pride, derrotando adversários como Kazushi Sakuraba (três vezes), Quinton Jackson (duas vezes) , Dan Henderson, Ikuhisa Minowa e Guy Mezger ao longo do caminho.  

 

Aqueles quatro anos colocaram Wanderlei nos livros de história como o maior atleta até 93kg do Pride já visto, uma era que o brasileiro esta revivendo nestes dias com os melhores combates da organização exibidos semanalmente nos EUA na Spike TV.  

 

"É ótimo para mim", disse Silva ao UFC.com. "Meus fãs na América me assistem no UFC, e muitos não assistem minhas lutas antigas. É bom eles verem de onde eu vim e minha história. Agora é possível e é bom porque agora eu estou voltando aos meus dias normais".  

 

Para Wanderlei, "normal" são aqueles dias que ele experimentou no Japão, quando vencer era uma ocorrência normal e quando ele estava enraizado no topo do ranking mundial. Mas quando ele finalmente chegou ao UFC em 2007, ele vinha de duas derrotas consecutivas por nocaute para Henderson e Mirko Cro Cop. E embora ele tenha feito uma luta histórica na derrota por decisão para Chuck Liddell em sua estréia no UFC, um nocaute de 36 segundos sobre Keith Jardine no UFC 84, em 2008, é sua única vitória nos três episódios subseqüentes, com duas derrotas contra Jackson e Rich Franklin.  

 

Já era tempo para mudanças, misturar alguns dos antigos com alguns dos novos para fazer um Wanderlei Silva totalmente novo, que vai encarar Michael Bisping no UFC 110 neste fim de semana em Sydney, Austrália.  

 

Primeira ordem do negócio - descer de peso.  

 

Não confunda isso com fugir de um desafio, já que ele se apresentou contra pesos pesados como o Cro Cop, Gilbert Yvel, ou Mark Hunt e teve uma gloriosa rotina de vitórias entre os atletas até 93kg, mas Silva finalmente chegou ao ponto onde a idéia de enfrentar adversários que cortavam enormes quantidades de peso para bater o limite dos meio-pesados e se reidratavam durante a noite, não era mais sábia. Em junho passado, ele lutou contra Franklin em uma categoria de peso combinada (Catchweight) de 88kg, e foi reconhecidamente um corte de peso difícil que se manifestou na noite de luta. Mas depois de um início lento, Silva mostrou relances de sua forma privilegiada durante algumas trocas com o ex-campeão até 84kg, e a decisão de lutar entre os médios foi tomada para a luta com Bisping.  Então, como vai indo?  

 

"Esta foi a primeira vez na minha vida que eu tive que fazer uma dieta de verdade", Wanderlei disse. "Mas é bom para mim - eu me sinto bem, sinto-me saudável, eu sou mais rápido agora e eu estou pronto".  

 

No momento da entrevista, no dia 4 de fevereiro, Wanderlei já estava com 88kg, e  pretendia manter esse peso quando ele entrou no avião para Sydney, deixando os 4kg finais para serem cortados antes da pesagem.  

 

O próximo item na lista da ressurreição de Wanderlei foi o reencontro com um velho amigo da famosa equipe Chute Boxe, Rafael Cordeiro. Cordeiro treinou com Wanderlei durante um mês nos preparativos para a luta contra Franklin, mas, desta vez, os dois estão juntos há seis meses, ficando evidente a confiança que o atleta de 33 anos de idade tem em Cordeiro e o desejo de retornar ao seu auge.  

 

"Ele é meu treinador há 15 anos", Wanderlei disse sobre Rafael, um ex-campeão do IVC. "Ele é ótimo, porque ele é um lutador de MMA e bom em todas as partes do MMA - em pé, quedas e chão também. Temos a mesma visão sobre a luta, eu tenho uma boa conexão com ele no meu corner, e ele dá-me boas maneiras para obter a vitória".  

 

Com sua classe de peso definida e seu corner solidificado, a única parte restante para Wanderlei é a luta, e ele certamente vai obter uma grande contra Bisping de Manchester, que teve sua própria ressurreição em novembro passado, quando ele se recuperou de sua derrota por KO para Henderson no UFC 100 com uma vitória por TKO sobre Denis Kang.  

 

"Ele é um grande adversário para a minha primeira luta até 84kg", disse Silva sobre "The Count". "Ele está vindo de uma vitória sobre Denis Kang, e eu o coloco entre os cinco primeiros entre os médios. Portanto, é um prazer lutar com ele. É muita motivação para mim".  

 

O que motiva ainda mais Wanderlei é que Bisping não evita de falar antes da luta. E se por enquanto as coisas têm estado relativamente calmas, antes de tocar o sino no Acer Arena, espera-se que algo seja dito ou feito para Wanderlei, colocando o no modo 'Axe Murderer'.  

 

"Eu amo lutar com caras como ele", diz Wanderlei, com uma risada. "Às vezes o adversário te respeita demais, okay eu sou profissional, mas eu prefiro lutar com caras que falam. É melhor para mim, e eu adoro isso".  

 

Então, isso significa que ele tem assistido muito o nocaute de Henderson sobre Bisping em julho do ano passado?  

 

"Simmm. Eu sei que eu vou acabar com ele, e depois de eu terminar com ele, todos os meus grandes momentos voltarão. Eu realmente preciso sentir a vitória novamente. É realmente importante para mim neste momento da minha carreira e é a razão pela qual eu tenho trabalhado tão duro".  

 

E esse é o ponto, não é? Voltar o relógio e dar a nova geração de fãs um gostinho do que os fãs mais antigos têm em suas memórias sobre o curitibano. É um novo começo para Wanderlei, e ele sabe disso, então ele vai fazer de tudo para mantê-lo ir. Para ele, isso não significa necessariamente uma imediata luta pelo cinturão.  

 

"É muito cedo para falar sobre o título", ele disse. "Eu preciso saber onde eu estou. É minha primeira vez no peso médio e existem outros caras na minha frente. Mas eu sei que minha chance vai voltar. Depois de duas ou três lutas, os caras vão me dar uma chance novamente".  

 

Aos 33 anos, Wanderlei Silva é ainda um jovem. Claro que ele já passou por uma quantidade enorme de guerras no ringue e octógono, mas com 84kg, em dieta e se sentindo forte, Wandy espera que ainda exista muito gás em seu tanque de combate. E como motivação, não faz mal ele olhar outro morador de Las Vegas, Randy Couture de 46 anos de idade.  

 

"Meu ídolo agora é Randy Couture", ele disse. "Minha vida inteira eu nunca tive um ídolo nas lutas. Durante todo esse meu tempo como lutador, eu vi um monte de bons atletas, mas não havia ninguém que eu dissesse 'eu quero copiar esse cara'. Mas agora, eu quero copiar o Couture. Ele fez uma série de lutas principais e ele está com 46 anos. Mas toda vez que eu pergunto o segredo, ele nunca me diz. (Risos) Talvez ele me diga depois dessa luta".  

 

Ou talvez Silva será o único a falar, deixando o povo saber como ele reinventou a si mesmo como um lutador do peso médio.