Skip to main content

Recap do Ep. #4 do TUF Brasil

O "trouble maker" do TUF Brasil mostra suas facetas mais uma vez, irritando as duas equipes na casa. A escolha do confronto deste episódio tem um padrão diferente dos últimos, deixando alguns atletas do Time Vítor descontentes com a novidade. O Time Wanderlei não quer deixar a peteca cair e busca equilibrar o score na luta peso pena do quarto episódio.

Assista aqui o episódio #4 completo

Como era de se esperar, o excesso de brincadeiras de Anistávio Gasparzinho vai incomodando seus parceiros e o time rival. O ápice dos desentendimentos acontece quando os atletas resolvem dormir e Gasparzinho, elétrico como sempre, inicia uma sessão de barulhos, cantorias e uma puxada no lençol de Rony Jason do Time Wanderlei, amigo do agitador. Rony não leva na esportiva as brincadeiras e, após ter seu sono interrompido e conversar com o atleta do time adversário sobre seu problema de insônia, desce para bater saco por volta das 4:45 da madrugada. Um distúrbio considerável para o Time Vitor.

Na sequência, no centro de treinamentos, Rony vai até a sala do Time Vitor para relatar o que aconteceu e explicar os motivos que o levaram a tomar tal altitude altas horas da madrugada. O líder Vitor entende as alegações, mas acha que ele poderia agir de outra maneira.

O episódio quatro marca o segundo emparelhamento no peso pena, e Vítor esbanja confiança com o placar favorável, já Wanderlei tenta puxar um gás para que seus comandados não se abatam com a desvantagem. Vítor, Francisco Filho e Luiz Dórea adotam uma estratégia diferente na hora de nomear representante e oponente, deixando as definições para o dia do anúncio. E o novo plano não agrada todos.

Rodrigo Damm (Time Vitor) e John Macapá (Time Wanderlei) são os escolhidos. Durantes as horas que antecedem a luta deste episódio, os dois técnicos explicam para os fãs como funcionam as etapas para corte e recuperação de peso de forma correta.

Colocando a teoria de lado, chegou a hora da ação! No princípio os dois imprimem uma trocação franca com abertas sequências de 1-2. Macapá leva a vantagem em conectar de forma eficaz, forçando Rodrigo a buscar a queda com um single-leg. Rodrigo mostrou suas credenciais de wrestling ao conseguir a queda, mas não manteve Macapá no solo por muito tempo. Em pé novamente, o membro do Time Wanderlei levava a melhor, e Damm tratou de quedar mais uma vez. Dessa vez, ele trabalhava para a passagem de guarda, o que não aconteceu e permitiu que voltassem em pé novamente, com mais petardos sendo desferidos com vontade.

O assalto de número dois começou com Rodrigo tentando dar dois botes para quedas, mas Macapá estava alerta e fez sprawls precisos. As duas tentativas frustradas de Damm fizeram Macapá crescer no combate e ele manteve pressão. Uma dedada acidental no olho de Macapá interrompeu o combate, mas não diminuiu o ímpeto do representante do Time Wanderlei. Nesse momento a situação ficou dramática, Macapá levava vantagem, mas sofreu uma queda nos segundos finais e na sequência uma montada, o que poderia deixar uma dúvida. Porém devido ao equilíbrio nos dois rounds, um terceiro foi necessário para desempate.

Um toma-lá-da-cá abriu os trabalhos no round decisivo, e Damm tentava levar para baixo sem sucesso. Macapá tinha boas combinações com as mãos e acertou um chute na perna. Nesse momento os títulos que Damm conquistou no wrestling lhe ajudaram a sair de uma área de desconforto, quando aplicou linda queda e começou a trabalhar com socos até passar a guarda. Com menos de 20 segundos para o fim, Damm aproveitou uma tentativa de queda de Macapá para tentar uma chave kimura. Embolados e já um tanto cansados ficou difícil dar aquele último gás para finalizar o embate e os árduos 15 minutos de batalha foram para a decisão dos jurados.

Vitória de Rodrigo Damm

Por 2-1 Damm faturou o triunfo e abriu o elástico 3-0 para o Time Vítor contra o Time Wanderlei, que já está com o sinal vermelho ligado.

“Foi uma das lutas mais duras que já fiz em minha vida,” comentou o vencedor sobre a guerra de três rounds.

Enquanto isso, o líder do Time Wanderlei mostrava toda sua indignação com o resultado, dizendo que Damm só travou a luta e não ofereceu perigo nenhuma vez.

Para os próximos episódios, o Time Vítor ainda mantém a vantagem de escolher as lutas, e - para tentar virar o jogo – Wanderlei e seus técnicos precisarão de uma nova tática e, ao mesmo tempo, não podem deixar seus comandados entrarem em desespero, o que tornará o desenrolar ainda pior para os próximos confrontos.