Skip to main content

Recap das 16 lutas eliminatórias do TUF Brasil

Divididos entre lutadores do peso pena e peso médio, chega o momento de definição para os 32 escolhidos. É a chance de provar que todo seu esforço pode ser recompensado ou superado pela maior vontade do adversário.
Luta 1 [peso pena] - Rony "Jason" Mariano (Quixada, CE) x Dileno Lopes (Manaus, AM)  
Após um princípio ligeiramente melhor, onde aplicou chutes, Jason recebeu dois fortes socos de esquerda de Dileno e foi ao solo. Tentando dar números finais com um Ground and Pound, o amazonense mostrou um pouco de afobação e, mesmo passando a guarda, ele não conseguiu manter seu adversário sobre domínio. Jason voltou em pé e mostrando recuperação, desferiu um low kick, tentou uma joelhada voadora e aproveitou um descuido de Dileno para encaixar um cruzado que derrubou, e então decretou o nocaute técnico na luta com mais dois socos.     Luta 2 [peso médio] Francisco "Massaranduba" Drinaldo (Brasilia, DF) x Charles Michael (Sorocaba,SP)  Uma trocação frenética e aberta só tem um resultado mais do que provável... Alguém vai cair. Massaranduba mostrou todo seu poderio ao arremessar Charles no chão, martelar e aplicar uma sequência de esquerdas até a interrupção do árbitro que decretou o nocaute.   Luta 3 [peso pena] Godofredo "Pepey" de Oliveira (Fortaleza,CE) x Johnny "Cabeça" 
Com jogo de chão apurado, Pepey esbanjou habilidade ao - mesmo por baixo - encaixar um armlock de dentro da guarda e forçar Johnny Cabeça a desistir em menos de dois minutos.    Luta 4 [peso médio] Cesar "Mutante" Ferreira (Belo Horizonte, MG) x Gustavo "Labareda" Sampaio (Brasília, DF)   
Com uma grande vantagem na envergadura, Mutante estava consciente que a trocação poderia ser o caminho contra o mais baixo Gustavo Labareda. No entanto, após dominar com no clinche de muay thai no melhor estilo Wanderlei Silva, Mutante se viu forçado a lutar no solo quando o adversário resolveu puxar para a guarda. Nesse momento o "mutante mineiro" foi advertido para tomar cuidado e não aplicar golpes na nuca e na sequência, ao desferir cotoveladas ilegais, forçou o árbitro a interromper o combate para chamar a atenção de César e checar o corte que sangrava na cabeça de Gustavo. Com pouco mais de 15 segundos para o fim do round número #1, pouco ação foi presenciada. No round seguinte, Labareda encontrou a distância para encaixar low kicks, e Mutante tinha dificuldade na trocação, diante disso ele resolveu levar a luta para baixo com uma grande queda, Labareda tentou voltar em pé, mas Cesar Mutante deu um bote na guilhotina e ajustou a posição ao puxar para guarda, o que deixou o brasiliense sem alternativas, a não ser desistir.  

Luta 5 [peso pena] Alexandre "Sangue" Ramos (Curitiba, PR) x Hugo "Wolverine" Viana (Salvador, BA)   Vamos vendo que os atletas entendem perfeitamente o sentido do show nesses confrontos do TUF Brasil. Sangue e Wolverine começaram trocando golpes, Sangue tentou um triangulo voador, que parecia encaixado, mas Wolverine resistiu, defendendo e escapando da finalização. Entrando na guardado curitibano, Wolverine mostrou um pouco de inexperiência na utilização de cotoveladas, porém trabalhou com golpes na linha da cintura e"ganhou" essa experiência durante o combate ao ouvir seu corner e apagar o adversário com três cotoveladas de direita em cheio.  

Luta 6 [peso médio] Daniel Safarian (São Paulo, SP) x Richard "Monstrão" Moreira (Campinas, SP)    Ignorando a maior envergadura de Richard Monstrão, Daniel Serafian mostrou boa movimentação e conseguiu desequilibrar seu adversário com um jab. No solo, Serafian imprimiu velocidade nos golpes, mas Monstrão atacou a perna esquerda com uma perigosa chave de calcanhar; bem defendida por Serafian que aproveitou para se manter por cima e ganhar a posição da montada. Na raça Monstrão tentava voltar em pé, quando - com três apoios no solo - recebeu uma joelhada ilegal. Após alguns minutos de paralisação, Serafian tentou correr atrás do prejuízo ao imprimir o ritmo, mas foi salvo pelo gongo quando a luta foi para o solo e Monstrão trabalhava uma segunda chave de calcanhar. No segundo round, Serafian continuo pressionando, levou a luta para o solo, e castigou Monstrão durante os cinco minutos, alternando golpes da montada e de dentro da meia guarda, levando a primeira vitória por decisão do dia.     Luta 7 [peso pena] Fabricio Guerreiro (Santana, AP)x Rodrigo Damm (Vila Velha, ES)  
A experiência em lutas no Brasil, Japão, Rússia, Canadá e EUA que Rodrigo Damm possui, pode ter sido crucial para sobrepujar a melhor trocação de Fabricio Guerreiro, que aproveitava o timing de tentativas de chutes para contra atacar com socos certeiros. Damm percebeu que em cima não daria e utilizou seu wrestling de campeão brasileiro aliado a faixa-preta de Jiu-jitsu para encaixar um mata-leão e dar números finais ao confronto no round dois.   

Luta 8 [peso pena] Wagner "Galeto" Santos (Pinhais, PR) x Fernando Guerra (Dourados, MS)   
Apesar de não vermos muito do espetáculo esperado - Wagner Galeto e suas combinações pareciam estar indo em direção ao nocaute sobre Fernando, podíamos acreditar que era uma questão de um encaixe final mais ajustado nos socos. Porém ficou difícil para definir um vencedor após dois rounds de cinco minutos cada, e um extra foi necessário. Nele, Galeto parecia ter puxado aquele último gás para dar um sprint final e mostrar tudo que não tinha feito antes, porém Fernando resistiu, mas acabou não convencendo os jurados que deram a vitória para seu adversário. Antes do veredicto, Fernando ainda tentou verbalmente convencer os jurados que seu oponente não lutou, e sim tentou administrar, gerando um pouco de tensão entre os dois, mas ficou "só nisso".   

Luta 9 [peso médio] Sérgio Moraes (São Paulo, SP) xThiago Rela (Itatiba, SP) 
Não se deve ignorar quando dizem: "Evite ir para o chão com um renomado faixa-preta de Jiu-jitsu." Se ele é tri-campeão mundial, pior ainda. Thiago Rela começou bem, trocando golpes em uma incomum posição no chão - comum fechando triângulo na perna do outro. Só que o momento de Sergio Moraes havia chegado, e pouco tempo depois ele encaixou uma chave de calcanhar, finalizando Rela e carimbando seu "passaporte" para a casa do TUF Brasil.

Luta 10 [peso pena] Rafael Bueno (Bragança Paulista,SP) x Anistávio "Gasparzinho" Medeiros (Natal, RN)
Gasparzinho não foi nem um pouco camarada como seu pseudônimo é conhecido, com bastante versatilidade ele confundia a trocação de Rafael e levou a melhor nos cinco primeiros minutos. Na sequência, Rafael deu o troco, e apesar de ser castigado no fim do assalto, ele tinha feito o suficiente para levar a luta para o terceiro. Gasparzinho apresentou bastante agressividade e quase conseguiu finalizar com armlock, entretanto venceu por decisão.      Luta 11 [peso médio] João "Tuba" de Souza(Curitiba, PR) x Thiago "Bodão" Perpétuo (Santo André, SP)  
O curitibano Tuba quis mostrar serviço logo no começo do combate, e levouThiago Bodão para o solo, ganhando a meia-guarda e lançando marteladas. Bodão deu o troco na mesma moeda, revertendo na raça e castigando da posição com a guarda passada. No segundo round, o lutador natural de Santo André repetiu a fórmula de sucesso do anterior: ground and Pound. Tuba foi guerreiro e resistiu apenas para amargar a derrota por decisão para Bodão.   

Luta 12 [peso pena] Geovani "Soldado" Souza Jr. (João Pessoa, PB) x John "Macapá" Teixeira (Macapá,AP)    Rápido estudo e o clinch nas grades foram interrompidos por uma joelhada abaixo da linha de cintura aplicada por Macapá. No reinício, foi vez de Soldado lançar um chute mal calculado que atingiu seu adversário no mesmo lugar. No segundo reinicio uma troca de pesados socos culminou com um clinch e uma queda aplicada por Macapá. Soldado reverteu a posição, porém Macapá encaixou uma fatal armlock que terminou o combate.     Luta 13 [peso médio] Delson "Pé de Chumbo"Heleno (Teresopolis, RJ)x Gilberto Galvão (Camburiú, SC)
No confronto entre dois dos mais fortes fisicamente das eliminatórias, Pé de Chumbo levou a melhor quando pôs em prática quedas bem sucedidas e um refinado chão para despachar Gilberto por decisão dos jurados.   

Luta 14 [peso médio] Fábio Bolinho (Natal, RN) x Renée Forte (Fortaleza, CE)
Punindo a perna esquerda de Renée com pesadíssimos low kicks, Fábio parecia ter encontrado o caminho que o levaria para a casa do TUF Brasil. Renée não se entregaria "fácil assim", fazendo jus ao sobrenome e encontrando sua distância para acertar bons uppers e balançar seu oponente em algumas oportunidades. Fim de luta e vitória do cearense Renée Forte.    Luta 15 [peso pena] - Marcus Vinicíus "Vina" Pancini (Curitiba, PR) x Pedro Nobre (Rio de Janeiro,RJ)
Um direto de direita que entrou em cheio no rosto do atleta carioca foi o começo da construção de Vina até a casa do TUF. Mesmo tonto no chão, Pedro buscou trabalhar uma chave de perna, mas inúmeras direitas selaram o fim do combate por nocaute técnico em favor de Vina quando o relógio ainda marcava 42 segundos. 

Luta 16 - [peso médio] Samuel Trindade (Boa Vista,RR) x Leonardo "Macarrão" Mafra (Camburiú, SC) 
A última eliminatória da noite teve brios de "Luta da Noite." Um duelo toma lá da cá que deixou Dana, Wanderlei e Vitor aplaudindo pé ao final de dois rounds alucinantes. No round número três, o cansaço já fazia com que Samuel e Macarrão se movimentassem em câmera lenta, mas nem por isso a luta deixou de empolgar e os dois continuaram trocando. Com menos de 12 segundos para o fim, Samuel levou para baixo e conseguiu a montada, partindo para um triângulo, mas o tempo se esgotou. O ataque não foi suficiente e Macarrão saiu vitorioso por decisão.