Skip to main content

Rani quer mostrar serviço em confronto de estilos

"O foco é dar o melhor, toda a preparação está sendo feita para desempenhar muito bem em todas as áreas. Finalizar é um dos focos, assim como nocautear também." - Rani Yahya

Estrangulamento norte-sul de RaniVindo de vitória sobre Josh Grispi por finalização, Rani Yahya é um dos quatro brasileiros em ação no UFC Silva x Stann, no dia 2 de março, evento que também traz Wanderlei Silva, Cristiano Marcello e Marcelo Guimarães no card. Rani está contente, não apenas por mais uma oportunidade no Octógono, mas por voltar a se apresentar no Japão, local que traz boas recordações ao lutador.   
      "É uma felicidade muito grande voltar a lutar neste país, faz mais de cinco anos desde a ultima vez. O Japão é a verdadeira meca das artes marciais, é cultural. Os lutadores lá são muito respeitados, é tudo muito diferente", comenta Rani.    No Japão, onde atuou em seis oportunidades, vencendo em quatro delas, o brasileiro participou de organizações como K1- Hero's, GCM e MARS. Agora no UFC, será como uma estreia na Terra do Sol Nascente. Pela frente, Yahya terá o japonês Mizuto Hirota, que estreia na organização e conta com confrontos em tradicionais eventos no país como Shooto, K-1 e Deep.                 "Ele vai encontrar um adversário muito bem preparado e com sede de luta",  Rani alerta. "A intenção é fazer a melhor apresentação possível e agradar ao público japonês, uma plateia que entende afundo as técnicas de luta."          Hirota (14v-5d-1e) busca os nocautes, com oito no total, enquanto Rani (17v-7d), um especialista no jiu-jitsu que já venceu o badalado torneio de grappling ADCC, procura sempre as finalizações - 15 ao todo. Para o lutador, o confronto de estilos, que remete o clássico grappler vs. striker, pode se tornar um atrativo extra para os fãs.        "Com certeza vai ser um confronto de estilos bem interessante, ele é um bom striker. Mas uma luta muito bem casada pela organização", diz ele que, apesar de admitir buscar a finalização, não descarta o primeiro nocaute da carreira, uma vez que o brasilense andou polindo seus golpes em seminário da lenda do K-1 Ernesto Hoost no Brasil e com Gabriel de Oliveira, treinador do medalha de bronze nasRani x J. Grispi Olimpíadas de Londres 2012, Yamaguchi Falcão. "O foco é dar o melhor, toda a preparação está sendo feita para desempenhar muito bem em todas as áreas. Finalizar é um dos focos, assim como nocautear também."           Para tal, o treinamento foi feito com afinco em sua cidade, Brasília, ao lado do treinador Ataide Jr, que acompanha o atleta desde o início da carreira.          "A preparação foi ótima, com certeza o melhor camp que a gente já fez até hoje. Toda a preparação foi feita na Constrictor Team, que é a minha casa."        O público japonês é apaixonado por lutas e promete lotar as arquibancadas da tradicional Saitama Super Arena, palco onde brilharam alguns dos maiores ícones do MMA, nos tempos do PRIDE. Yahya espera atender as expectativas não apenas do público no ginásio, mas de todos espalhados pelo mundo, na transmissão ao vivo pela TV.         "A torcida pode esperar por uma grande luta, nós contamos com o apoio de todos, o que é muito importante para nós que estamos lutando. Assistam e torçam, um grande abraço a todos e que Deus nos abençoe", encerra.