Skip to main content

Paulo Thiago - O caveira está de volta

Dia 14 de abril, o meio-médio brasiliense e policial do BOPE Paulo Thiago encara o lutador afegão Siyar Bahadurzada no UFC Suécia: Gustafsson x Silva. Integrante da equipe Constrictor Team, Paulo ficou afastado das competições desde agosto de 2011, quando bateu David "Daudi" Mitchell no UFC Rio: Silva x Okami. Desde então, o brasileiro se viu as voltas com uma contusão no cotovelo que o forçou a sair do card da segunda edição do UFC no Rio em janeiro deste ano.
      

Recuperado e ansioso para retornar a ação no evento inaugural do UFC na Suécia, Paulo cedeu uma entrevista exclusiva a repórter Paul Sack e contou tudo sobre os treinos e a importância da parte psicológica preparada no BOPE e de suma importância no MMA.   
 
"Acho que 100% da luta é psicológico. Você tem que estar conversando com o seu corpo o tempo todo, administrando... A cabeça comanda o corpo." Disse o PT de Brasília.    
 
Paulo vai precisar estar na ponta dos cascos para pegar Bahadurzada (20v-4d). O lutador afegão radicado na Holanda não perde uma luta desde 2009, e só perdeu duas das 10 últimas disputadas, impondo (T)KOs em sete dos triunfos. Parada dura para o brasileiro? Confira abaixo a entrevista e fique antenado no Combate, dia 14 de abril a partir das 13:30 para o UFC Suécia: Gustafsson x Silva.

Paula Sack: Como esta a expectativa para esse combate?        
Paulo Thiago: A melhor possível. Treinei forte em Brasília, tô me sentindo muito bem. Vou chegar bem preparado para essa luta e trazer um bom resultado.  
        
PS: O seu adversário estreia no UFC Suécia, mas é um atleta bastante experiente, foi campeão do Shooto. Como você analisa o seu oponente?  
PT: Assisti muitos vídeos dele, ele é um atleta muito duro, um nocauteador, tem as mãos muito pesadas, mas também tem algumas brechas no jogo. É nisso que eu vou trabalhar, para anulá-lo e trazer a vitória.      
    
PS: Que estratégia você vai usar para esse combate?       
PT: Tenho algumas. A principal é não entrar no jogo dele. Ele é um cara que gosta da trocação franca e não tem medo de tomar na cara. Ele bota a cara pra bater e bate pra derrubar, então a primeira estratégia é não entrar no jogo dele e ver onde ele vai oferecer as maiores oportunidades: se vai ser no chão ou se vai ser em pé mesmo. É entrar com o jogo bem ajustado para não deixá-lo impor o jogo dele.     

PS: Na edição da Suécia você fará a sua 8ª luta no UFC. Como você viu sua evolução desde que você estreou no evento?    
PT: Acho que estou evoluindo tecnicamente, mas o meu cartel esta um pouco inconstante dentro do evento, ganhei umas e perdi outras. Estou vindo de uma vitória e vou procurar uma sequência de vitórias para ter a chance de disputar o titulo também.  
        
PS: Fala um pouquinho do seu treinamento no BOPE que, sem dúvida, influência na sua carreira de atleta.  
PT: O BOPE te prepara para ser um policial mais duro e mais preparado para as adversidades e isso me ajuda não só para a luta, mas para todos os momentos da minha vida. Acho que você traz uma carga emocional muito grande dos treinamentos e do serviço policial e me ajuda bastante na luta.
      
PS: Uma das coisas que mais impressionam no BOPE - além de toda a preparação física dos policiais, é a preparação psicológica.   
PT: Para entrar no BOPE, você precisa concluir o Curso de Operações Especiais, um curso muito difícil tanto fisicamente como psicologicamente. Acho até que a parte psicológica do curso é mais difícil que a parte física. Um curso que forma em media 20% dos inscritos. No final do curso você se sente mais emocionalmente preparado e isso me ajuda muito na luta, para controlar a adrenalina e a emoção durante o combate.    
   
PS: Qual porcentagem em uma luta você acha que é psicológico?  
PT: Acho que 100% da luta é psicológico. Você tem que estar conversando com o seu corpo o tempo todo, administrando... A cabeça comanda o corpo.  
       
PS: Lutador do UFC, policial do BOPE...  Sobra tempo para fazer mais alguma coisa?       
PT: Sobra! Gosto de ficar com os meus amigos, a minha família, tenho dois filhos. São gêmeos, um se chama Paulo e o outro Thiago. (risos)  Sou um cara caseiro, gosto muito de curtir o dia, saio à noite também, mas aproveito muito o dia para ficar com as crianças.  
        
PS: Obrigada pela entrevista. 14 de Abril UFC Suécia com a presença de Paulo Thiago. Missão dada é missão cumprida.     
PT: Caveira!