Skip to main content

Os dez melhores - As finalizações de 2009

Por Thomas Gerbasi  

       

Todo mundo adora nocautes - não há dúvidas sobre isso nos esportes de combate. Mas quanto mais o MMA se torna popular a cada ano que passa, mais os fãs estão adquirindo conhecimento e entusiasmo com lutas que terminam por finalizações, e com as desistências sempre acompanhadas por aplausos.         

Aqui, o melhor que vimos no UFC em 2009. Deixe um comentário e diga-nos o seu favorito.     

       

10 - Tim Hague finaliza Pat Barry com uma guilhotina no primeiro round - 23 de maio - UFC 98     

 

A apresentação de Tim Hague diante de Pat Barry não está aqui por causa do brilhantismo técnico ou da finalização pouco ortodoxa. Está aqui porque a guilhotina que finalizou Barry ilustrou a beleza do MMA. Voltando a 2001, o veterano competidor Jeremy Horn me disse: "Quando um boxeador está se preparando para uma luta, ele só tem uma escolha, que é socar seu adversário o tempo todo, melhor e mais rápido. E se ele não puder fazer isso, a derrota é garantida. Considerando que, no MMA, se eu sei que meu oponente é o melhor boxeador do que eu, eu vou levá-lo para baixo ou chutá-lo. Se ele é um grappler melhor do que eu, vou tentar boxear com ele. Então por ter mais possibilidades de manter-me seguro e ainda ganhar a luta, é mais fácil se manter calmo. Todo mundo tem pontos fracos, por isso tudo que você precisa fazer é descobrir onde estão e explorá-los. Se um boxeador sabe que seu adversário soca mais forte e mais rápido, ele não tem opções. Não há para onde ir. Existem ainda algumas falhas, que ele pode tentar explorar, mas são bem menores". Quando Hague lutou contra Barry, ele precisou tomar alguns petardos para decidir que sua melhor chance de vencer era no chão. Então ele levou Barry para baixo e finalizou. E em situações tão simples assim, é que vemos o melhor do MMA.    

       

9 - Jon Jones finaliza Jake O'Brien com um triângulo de mão no segundo round - 11 de julho - UFC 100    

 

2009 foi um bom ano para o promissor atleta de 93kg Jon Jones, mas após suas duas impressionantes vitórias por decisão sobre Andre Gusmão (em agosto de 2008) e Stephan Bonnar (em janeiro de 2009), os fãs queriam ver mais do que suas quedas e suas cotoveladas rodadas - eles queriam ver se ele poderia terminar uma luta a "nível UFC". Bem, a luta de Jonny Bones no UFC 100 respondeu a esses questionamentos quando ele finalizou o sempre duro O'Brien com uma série de golpes seguidos por um triângulo de mão no segundo round. Isso deu - a potenciais adversários - outro aspecto em seu jogo para se manter ligado.       

       

8 - Alan Belcher finaliza Denis Kang com uma guilhotina no segundo round - 17 de janeiro - UFC 93     

 

Como eu escrevi em Janeiro, tudo deu errado para Alan Belcher na sua luta contra Denis Kang, exceto nos últimos 20 segundos, e neste esporte, às vezes isso é tudo que importa. Apesar de estar aturando um castigo feroz do duro Kang, "The Talent" manteve-se focado, respirou fundo, e depois, quando o seu adversário ficou sem gás e as idéias ficaram em ordem, o lutador de Biloxi, Belcher, voltou a ação com guilhotina, que deu números finais aos 4:36 do segundo round.     

      

7- Tom Lawlor finaliza CB Dollaway com uma guilhotina no primeiro round - 11 de julho - UFC 100   

  

Quando você pergunta a maioria dos fãs de MMA sobre o atleta da temporada oito do The Ultimate Fighter, Tom Lawlor, geralmente a primeira coisa que vem à mente são suas brincadeiras naquela temporada, seu tributo ao cara do "Just Bleed" durante a pesagem do UFC 100, ou talvez até mesmo sua entrada no Octagon com a música "Who Let The Dogs Out". Sendo assim é fácil esquecer que Lawlor é um lutador talentoso, mas talvez um pouco mais de pessoas vão se lembrar disso depois que ele encaixou uma guilhotina em CB Dollaway no UFC 100, faturando a vitória em 55 segundos, o que fez dele um competidor de calibre em sua nova categoria de peso (84kg).         

       

6 - Rick Story finaliza Brian Foster com um katagatame no segundo round - 19 de setembro - UFC 103   

  

Quando se trata de uma batalha franca, o primeiro round entre os leves Rick Story e Brian Foster é a alusão mais que perfeita, especialmente porque ambos deixaram a cautela no portão do Octagon. Mas, no segundo round, Story decidiu por outro roteiro e levou a luta para o chão. E enquanto entrava na guarda de Foster, ele foi encaixando um katagatame que ninguém além dele esperava que funcionasse. Mas pegou, e Foster teve que desistir aos 1:09 do segundo round, dando a Story não apenas o prêmio de finalização da noite, mas o bônus da luta da noite também.          

       

5 - Joe Lauzon finaliza Jeremy Stephens com um armlock no segundo round - 7 de fevereiro - UFC Fight Night     

 

Joe Lauzon estava dando uma aula em sua luta do dia 7 de fevereiro contra Stephens, mostrando todas as facetas de seu jogo diante do público da Spike TV. Mas quando você não acaba com Stephens logo, ele é perigoso. Então, quando parecia que Lauzon estava prestes a terminar - ele tinha pegado as costas do lutador de Iowa - Stephens virou o jogo, abriu um corte na testa Lauzon com uma cotovelada e começou a pressioná-lo contra as grades do Octagon. De repente, as coisas não pareciam tão brilhantes para Lauzon, mas rapidamente, o atleta da Nova Inglaterra inverteu, conseguiu montar e encaixou um armlock que terminou o combate.          

       

4 - Damarques Johnson finaliza Edgar Garcia com um triângulo no primeiro round - 12 de dezembro - UFC 107     

Damarques Johnson foi um dos favoritos para vencer a divisão meio média na  temporada nove do The Ultimate Fighter no início deste ano, mas a esperança terminou em decepção depois de uma finalização sofrida diante de James Wilks em junho. Johnson se recuperou em grande estilo contra Edgar Garcia, porém, teve que aturar alguns bons golpes e uma tentativa de estrangulamento (gravata peruana), para então desferir uma pedalada que abriu espaços para ele encaixar um triângulo que lhe rendeu o bônus de luta da noite no UFC 107.            

       

3 - Frank Mir finaliza Cheick Kongo com uma guilhotina no primeiro round - 12 de dezembro - UFC 107     

 

Todos conhecem do calibre de Frank Mir no jogo de chão. Mas com seu recente foco no jogo em pé e o ganho de peso projetado para competir contra caras como o campeão Brock Lesnar, essa situação seria interessante de ser vista no momento em que ele colocasse seu desejo de trocar contra o striker francês Cheick Kongo. Ele trocou, mas não por muito tempo, quando uma potente esquerda mandou Kongo à lona. O que se seguiu foi Mir encaixando uma guilhotina que forçou o árbitro Herb Dean a parar a luta apenas 72 segundos.       

       

2 - Demian Maia finaliza Chael Sonnen com um triângulo no primeiro round - 21de fevereiro - UFC 95     

 

Nós poderíamos ter que nomear isto o Prêmio Demian Maia quando tudo é dito e feito, mas é difícil não ficar impressionado cada vez mais com este exímio lutador de jiu-jitsu. E não é apenas sua técnica, é o fato de que toda vez que ele pisa no Octagon, o seu adversário sabe o que ele vai fazer - e (com exceção de Nate Marquardt) ainda assim eles não podem pará-lo. Vamos ser honestos - quando você enfrenta Maia, você não precisa se preocupar com ele tentando joelhadas voadoras ou cruzados brutais ou ganhando lutas com ground and pound. Ele vai tentar finalizar. E mesmo se você tiver algum sucesso inicial, como Sonnen, eventualmente, como algo inevitável, ele vai te pegar. Nesta luta, foi uma bela queda indo direto para um triângulo que destruiu Sonnen. Para mim, Demian é tão perigoso com suas finalizações quanto Brock Lesnar é com seu ground and pound.      

       

1 - Terry Etim finaliza Justin Buchholz com um triângulo de mão no segundo round - 13 de junho - UFC 99  

 

É difícil não gostar da promessa do peso leve Terry Etim. Um garoto humilde, que está ficando melhor a cada luta,  possui alguns aspectos que fazem campeões neste esporte. Foi a sua primeira vitória sobre Brian Cobb, que fez com que ele mostrasse instinto assassino para conseguir o que ele queria. Segundo, no UFC 99, foi esta batalha com Justin Buchholz, um perigoso jovem que veio para a Alemanha para vencer, não apenas para fazer em uma boa luta. No primeiro round, Buchholz acertou um direita que quebrou o nariz de Etim. Buchholz tinha entrando matar, mas Etim se recuperou e foi para um armlock. Ele conseguiu passar pelo primeiro, mas Buchholz manteve-se com o mesmo ímpeto no segundo assalto. Desta vez, porém, Etim não iria vacilar. Os dois foram para as grades, e Etim imediatamente encaixou um triângulo de mão. Fim de jogo, e Etim mostrou a capacidade de resistência e o coração que você espera ver em cada lutador.    

       

Menção Honrosa:  BJ Penn-Kenny Florian, Cole Miller-Junie Browning, Kenny Florian-Clay Guida, George Sotiropoulos-Jason Dent, Jake Rosholt-Chris Leben, Stefan Struve-Chase Gormley, Terry Etim-Shannon Gugerty, Frankie Edgar-Matt Veach, Mark Bocek-Joe Brammer, Stefan Struve-Denis Stojnic, Josh Neer-Mac Danzig, Mike Ciesnolevicz-Neil Grove, Krzysztof Soszynski-Brian Stann, James Wilks-DaMarques Johnson, Jason Dent-Cameron Dollar, Shannon Gugerty-Matt Grice, Rob Kimmons-Joe Vedepo, Brock Larson-Mike Pyle, Josh Koscheck-Anthony Johnson, Nate Diaz-Melvin Guillard.