Skip to main content

O renovado Thiago Silva chega em 2010

Por Debbie Lee - Jamais desistir. A frase cobre generosamente toda a parte inferior do antebraço direito Thiago Silva. É uma das muitas tatuagens que cobrem o corpo do atleta de 27 anos de idade, mas esta tem um propósito específico, lembrar a ele de sempre ir em frente diante das adversidades.

Por Debbie Lee  

 

Jamais desistir. A frase cobre generosamente toda a parte inferior do antebraço direito Thiago Silva. É uma das muitas tatuagens que cobrem o corpo do atleta de 27 anos de idade, mas esta tem um propósito específico, lembrar a ele de sempre ir em frente diante das adversidades.  

"É a filosofia responsável pelo sucesso que tive na minha carreira até agora", ele disse. "E vai continuar a me manter por cima de qualquer oponente dentro do Octagon". 

Veja qualquer uma das nove finalizações no primeiro round em suas últimas onze lutas, e você seria forçado a crer que Thiago nunca teve uma verdadeira oportunidade de testar esse lema. Se ele pode vencer por decisão ou sobreviver a qualquer situação perigosa, não saberíamos, já que ele raramente é pressinado. Por enquanto, vamos levar em consideração o que ele fala.

    

"O que eu acredito é que uma luta é uma luta", disse. "Eu tenho que estar pronto para lutar três rounds, ou enfrentar que vier pela frente... Terminar no primeiro assalto é apenas um bônus - uma coisa a mais, mas eu estou pronto para três". 

  

Mas por que provar que você tem coração ou gás quando você pode esmagar a maioria dos seus oponentes em questão de minutos? 

 

O caso mais recente: a vitória de 95 segundos sobre Keith Jardine no UFC 102 em agosto. "Devastadora" e "brutal" estão entre os adjetivos mais comuns em torno daquele seu desempenho vitorioso, mas, como qualquer fã de Thiago sabe, há algo muito mais assustador sobre o brasileiro do que o seu gancho de esquerda naquela noite - o fato de que ele já acabou com adversários de forma mais rápida.  

Dito isto, existe uma pessoa que não está levando esses feitos em consideração, e essa pessoa é Thiago. Lembrá-lo de suas realizações, e ele responde com certa indiferença. É uma estratégia intencional. Manter-se concentrado em seu jogo é parte de uma resolução de Ano Novo - uma que ele vai colocar em prática no dia 2 de janeiro, quando enfrenta Rashad Evans no UFC 108.   

"Uma das minhas resoluções é ser o menos emotivo possível", Thiago disse. "Eu vou lá para fazer um trabalho, fazer o meu melhor e obter a vitória". Mais tarde, ele reiterou, "Ser mais inteligente... é meu novo estilo".  

Não é como se o estilo original fosse terrível. Começando no Octagon com um TKO no primeiro round sobre James Irvin no UFC 71, Thiago raramente tem decepcionado desde sua estréia em 2007. Um adversário após o outro, ele continuou a manter um recorde perfeito, três vitórias consecutivas mais tarde: sobre Tomasz Drawl, Alexander Houston, e Antonio "Samuray" Mendes - ele estava cruzando a via rápida para uma potencial disputa pelo título contra o então campeão meio-pesado Evans.

    

Mas primeiro ele teria que matar o dragão. Embora Thiago estivesse pronto para enfrentar o compatriota invicto Lyoto Machida no UFC 94, ele acabou derrotado no finzinho do primeiro assalto.   

"Foi doloroso", ele disse sobre a derrota por nocaute - a primeira em seu recorde (agora 14-1). "É desagradável perder para alguém. Mas você aprende com seus erros e aprende com suas derrotas".    

Especificamente, Thiago aprendeu sobre os buracos em seu jogo mental, daí a resolução do Ano Novo.  

 

"Definitivamente, [eu estava nervoso ou hesitante]", disse ele. "Foi um grande estágio para mim. Eu acho que posso corrigir os erros daquela luta. Não estou desmerecendo nada agora, mas eu só quero ter a chance de lutar com ele novamente".

  

Agora, alegando ter renovado o seu estilo, Thiago deu seus primeiros passos no sentido de resgate com uma vitória sobre Jardine. Fãs aplaudiram quando ele fez o seu gesto de cortar a garganta, mas uma pessoa não achou isso tão legal: o parceiro de treinos de Jardine, Evans. Diga o que quiser sobre as reações dos dois naquela noite, mas Thiago tem o cuidado de evitar que sua próxima luta seja vista como pessoal.  

 

"A vitória aumentou a minha confiança após a derrota para o Lyoto", ele disse. "[O gesto], não foi diretamente relacionado ao Jardine. Acabei de voltar de uma grande derrota e eu estava apenas dizendo: 'Ok, estou de volta'.

E enfrentando o melhor amigo de Jardine. "Não há rancor da minha parte. Como eu disse antes, este é o meu trabalho... eu quero lutar contra os melhores, e Rashad é um dos melhores do mundo. E vindo de um time como o do Greg Jackson, eu o respeito muito".   

Evans (18-1-1), cuja única derrota foi para Lyoto também, é o grande favorito para conquistar a vitória, pelo menos, ele deve levar o seu adversário para territórios raros - um segundo round. Mas Thiago não se importa em ser o azarão nesta batalha meio-pesada.

   

"Eu estou tentando não me envolver mais emocionalmente", insistiu. "Então, isso realmente não me incomoda".

Ao invés de se preocupar com apostas, ele está concentrando-se no seu plano de jogo, que é "ir lá e lutar dar o meu melhor. Eu sou um lutador completo que vai lutar no chão ou em pé. Eu tenho que estar preparado para tudo. Eu quero é ser o campeão, e a vitória contra o Rashad me colocaria no caminho do Lyoto novamente". 

 

Por mais vago ou genérico que possa parecer, esta nova atitude discreta está aqui para ficar, pelo menos até quando Thiago possa manter sua resolução de ficar menos emocional.   

 

No entanto, se ele vacilar e deixar Evans obter vantagem, em qualquer ponto no sábado, o mundo vai finalmente ver ou não se a tatuagem realmente vem a calhar.