Skip to main content

Michael Bisping - O instinto assassino voltou

 

A última vez que vimos Michael Bisping atuando no Octagon, ele foi um dos protagonistas do nocaute da noite no UFC 100 em julho. Mas, obviamente, ele não queria estar na posição de nocauteado naquela luta contra Dan Henderson em Las Vegas. Principalmente por estar enfrentando seu adversário como técnico no "The Ultimate Fighter 9" e esse foi apenas um dos motivos que cercou a luta de muita rivalidade, com promessas de nocaute de ambos os lados. No fim de tudo, Bisping amargou sua primeira derrota por nocaute da carreira e até hoje, poucas horas antes de sua próxima luta, contra Denis Kang no UFC 105 em Manchester, ele ainda tem que lidar com perguntas relacionadas ao seu revés de julho.   

"Para ser honesto eu não tenho desculpas", Bisping (18-2) disse. "Eu fui atingido com um bom soco e fui nocauteado. Eu achava que estava indo muito bem na luta. Eu perdi o primeiro round e estava vencendo o segundo, até que fui acertado, e se eu não tivesse acontecido eu poderia ter vencido essa luta. Eu não estava sendo completamente destruído. Mas fui acertado e nocauteado."  

 

Aquela luta do UFC 100 já faz parte do passado, mas ao mesmo tempo entrou para história, tanto do derrotado quando do vencedor. E por mais que Bisping prefira não dar desculpas, algo parecia não estar muito bem. O astro britânico se apresentou meio lento demais para quem dissera que iria nocautear Henderson, resultado de um excesso de treino de 15 semanas.   

 

"Foi uma grande luta, e combinado com o The Ultimate Fighter, eu tive bastante de tempo livre, assim eu comecei a treinar 15 semanas antes desse combate, o que foi absolutamente ridículo", ele disse. "Claro que não era o plano - o plano era ir aos poucos e quando chegasse na academia ir com tudo para aumentar o treinamento."   

Tentando uma abordagem de treinamento diferente para a luta contra Kang, Bisping, 30 anos de idade, busca na derrota para Henderson, e até mesmo na vitória contra Chris Leben (UFC 89), o que sempre foi sua marca registrada. O ataque.    

 

"Mentalmente, para esta luta, eu tenho que entrar lá e impor o ritmo", Bisping disse. "Meus melhores desempenhos no passado foram quando eu assumi a posição de agressor. Então eu tenho que voltar com isso e ser meu antigo 'eu' novamente. Se você viu minhas lutas anteriores, eu fui para cima dos caras, derrotando a maioria deles no primeiro round. Nas minhas primeiras dez lutas profissionais, apenas uma passou do primeiro assalto, então é isso que eu tenho que voltar a fazer. Eu tenho que encontrar a chama dentro de mim e adquirir esse instinto assassino de volta."     

 

Esta é uma coisa boa de se ouvir de um lutador, mas normalmente não é a primeira coisa que se espera de alguém após uma derrota por nocaute. Bisping não é a arma do tipo tímida, e verdade seja dita, se pudesse, ele estaria de volta ao Octagon muito antes do próximo sábado à noite.  

 

"Eu queria lutar o mais rápido possível, eu sinto se fosse uma espera eterna, já passou muito tempo desde que eu lutei contra o Henderson", ele disse. "Eu quero voltar, voltar a vencer. Você é tão bom quanto sua última luta e, infelizmente, na minha última luta eu fui nocauteado. Então, esse é o motivo pelo qual eu estive tão ansioso para voltar a lutar. Esta será a minha segunda luta neste ano, e para mim, eu fiquei muito tempo fora de ação."     

 

E apesar das críticas sofridas por Bisping durante o período de inatividade, tudo por causa do desempenho contra Henderson. O britânico não se importa em voltar ao Octagon contra um atleta de elite como Kang, muito pelo contrário, é tudo que ele busca dentro do UFC.

 

"Eu nunca questionei um adversário na minha vida e certamente nunca farei isso no UFC", Bisping disse. "Inicialmente, falaram em Wanderlei Silva, e eu disse beleza. Eu queria voltar contra alguém do mesmo calibre e status para esquecer a última luta e compensar isso. Essa luta não aconteceu, e assim colocaram o Denis Kang, e eu disse 'certo, perfeito'.

 

"Estes são caras que eu quero enfrentar. Eu não quero voltar contra caras que ainda estão fazendo seus caminhos, eu quero lutar contra caras que estão no topo, e Denis Kang é um desses lutadores. Ele tem estado no MMA há muito tempo, ele é muito experiente, e lutou contra grandes caras. Ele comentou que é definitivamente melhor do que eu. Eu discordo dele e nós veremos o que acontece sábado à noite."