Skip to main content

Maia pensando como um faixa branca, lutando como um faixa preta

"Não penso que esta luta vai ser fácil, de jeito nenhum,  acho que vai ser muito interessante e ótima para os fãs". – Demian Maia 

"Não penso que esta luta vai ser fácil, de jeito nenhum,  acho que vai ser muito interessante e ótima para os fãs". – Demian Maia

Se você é fã de lutadores brasileiros, ou de alguma forma está associado ao esporte, ou você estava na Arena do HSBC no Rio de Janeiro,  em 14 de Janeiro ou você queria estar lá para o UFC  Rio: Aldo vs. Mendes.

Mas Demian Maia não.

Escondido em São Paulo, Demian foi dando os retoques finais em seu centro de treinamento, se preparando para uma luta em Chicago em 28 de janeiro, e, com exceção de uma sessão de autógrafos em sua cidade natal, não estava preocupado com o que iria acontecer no Rio, no início deste mês.
"Estou muito focado e  não estou pensando em lutar neste ou naquele dia - só penso que tenho uma luta no dia 28 e pronto", disse Demian, quando perguntado sobre o evento e se ele iria participar ou assistir o UFC 142. "Eu nem sei se vou assistir, porque geralmente antes das minhas lutas eu não costumo assistir lutas. Eu estou focado somente no dia 28".
Portanto, não havia nenhuma preocupação por ser visto com a nata brasileira do mundo do MMA ou decepcionado por não competir no card, ele tinha que cuidar dos negócios, e todos os olhos estavam voltados para a América, e não para o  Brasil. "Estou muito feliz de lutar porque faço o que eu amo, e sei que o UFC está vindo ao Brasil com mais freqüência, por isso, mais cedo ou mais tarde sei que vou lutar aqui, mas não estou com pressa", disse Demian, cuja atitude coincide com o seu estilo de luta. Ele não vai ser imprudente ou selvagem. Ele vai ganhar com sua mente antes de ganhar com as mãos ou com os pés, em um pouco mais de quatro anos, ele passou de um lutador unidimensional de jiu-jitsu para um bom lutador de MMA cuja maneira pode ser pouco ortodoxa , mas eficaz. E isso vêm com uma mistura de trabalho, foco e uma revigorante falta de ego.
"Para mim, não é difícil, porque eu amo o que faço e amo lutar", disse ele. "Amo boxe também, e não apenas jiu-jitsu, então sempre que você faz algo que você ama, nunca é um trabalho duro. É claro que o treinamento é difícil, mas gosto muito do que faço  e, quando você é assim, acho que você se desenvolve muito bem".
"Eu vejo alguns caras que lutam em pé e fazem jiu-jitsu por muitos anos e ainda não são  bons, e há alguns caras do jiu-jitsu que lutam em pé por muitos anos e ainda não são  bons,  a verdade é que eles não gostam do outro estilo", continua Demian. "Às vezes eles não gostam de treinar outros estilos e às vezes eles não gostam de deixar de serem os melhores no que fazem para aprender algo a mais, existe o ego envolvido ali. Se você pensa como um faixa branca, você pode continuar melhorando. E quando decido fazer  alguma coisa, sei que vou me empenhar para isso e vou conseguir".Vencedor de três de suas últimas quatro lutas, com uma derrota contra Mark Muñoz por decisão em luta que ele balançou o "The Filipino Wrecking Machine" enquanto os dois trocavam golpes desde o início, Demian mostrou a abilidade de se controlar tanto em pé como no chão. Ele nunca será confundido com um nocauteador nos 84 quilos, mas se lutar três rounds contra Munoz e cinco rounds com o campeão Anderson Silva não apagaram da  memória a sua derrota por nocaute para Nate Marquardt  em 2009, você não está prestando atenção.
Assim, com seu ego sob controle, o jogo dele vem melhorando, com todas as lutas, e as perspectivas são brilhantes para o lutador de  34 anos, então não foi surpresa quando ele nao se abalou quando seu oponente original Michael Bisping,  para a luta neste sábado na FOX, foi retirado da luta para substituir o lesionado Munoz contra Chael Sonnen.  Entra em cena o invicto Nova iorquino Chris Weidman, e Demian está tão pronto para seu novo adversário como estava para o último.
"Chris Weidman é um dos lutadores mais promissores dos médios, com credenciais de wrestling incríveis, e está mostrando muita coisa boa,  está sempre melhorando sua técnica no Jiu-jitsu", disse Demian. "Ser invicto não é fácil neste nível de competição e ele mostrou que é um bom lutador. Eu respeito muito o fato de que ele aceitou a luta com pouco tempo de antecedência, já que este é um card importante em uma grande plataforma na FOX, e isso mostra o quanto ele tem coração. Não acho que esta luta será fácil, de jeito nenhum, acho que vai ser muito interessante e ótima para os fãs".E uma vitória em rede nacional também vai fazer maravilhas para o crescente cartel de Demian.
"É um bom teste para mim se eu quiser ser campeão um dia", disse Demian, que já está colhendo os benefícios do sucesso do UFC em seu país natal.
"É uma sensação muito boa", disse ele. "Depois do ano passado, quando o UFC  voltou para o Brasil mais uma vez, houve uma grande mudança no esporte no Brasil. E agora, as pessoas nos reconhecem na rua, eles vem conversar com a gente em todos os lugares, e é diferente de antes. Antes,  apenas outros lutadores e as pessoas envolvidas com lutas sabiam quem eu era. Agora todo mundo vem conversar e o esporte é muito grande aqui".
Porém não é de se surpreender, que ele não deixou toda a atenção subir a sua cabeça.
"Isso não muda minha vida. Eu ainda sou a mesma pessoa, como todo mundo".
Isso não significa que ele não gostaria de fazer sua estréia como lutador no UFC em seu país de origem, com um título mundial na reta um dia.
"Isso seria ótimo".