Skip to main content
Jan. 16, 2013
By CARLOS EDUARDO OZÓRIO

“Vou para dar show, para ser um colírio nos olhos de quem me assistir. Sempre quis lutar contra os melhores e de cara vou ter o Edson, que é uma pedreira. Vou quebrar essa pedra." - Lucas Mineiro 

Competir no UFC é o sonho de qualquer lutador e, repentinamente, foi o que se realizou na vida de Lucas “Mineiro” Martins, de 24 anos, invicto no MMA. Devido à contusão de Justin Salas no início de janeiro, Lucas foi convocado para ser o adversário de Edson Barboza no confronto preliminar peso leve deste sábado, no UFC São Paulo. Uma grata surpresa para o promissor atleta, especialista na trocação, o mesmo fundamento do seu oponente.

“Estava de férias em Minas Gerais e o meu empresário me ligou. Disse que tinha uma surpresa, não queria me contar o que era. Quando ele me disse que era o UFC, não acreditei. Arrumei as minhas coisas e voltei correndo para São Paulo!”, conta Mineiro.

Férias? Não foi muito bem o que o lutador teve, mesmo depois de uma série de desafios em 2012, ano em que fez nada menos que dez confrontos. Marca impressionante nos dias de hoje devido ao nível que o esporte chegou nos quatro cantos do planeta. 

“Na verdade, as minhas férias se resumiram a quatro dias sem treinar, apenas. Em dezembro fiz duas lutas, então estou com muito gás. Estou bem, a ponto de bala”, garante.

Pela frente, Lucas vai ter um desafio duro. Edson, que tem apenas uma derrota em 11 lutas – justamente na sua última apresentação, quando acabou nocauteado por Jamie Varner -, fez carreira em eventos de muay thai e já conta com cinco apresentações no UFC. Além disso tudo, Edson teve a honra de ser premiado com o KO do Ano de 2012, um feio impressionante, mas que não freia a expectativa de Mineiro.

“Vou para dar show, para ser um colírio nos olhos de quem me assistir. Sempre quis lutar contra os melhores e de cara vou ter o Edson, que é uma pedreira. Vou quebrar essa pedra e espero fazer a luta da noite”, avisa Lucas, que contou com o apoio de outros atletas do Ultimate para esta estreia.
“Estou invicto, com 18 lutas. Na minha última, no Jungle Fight, venci o Oberdan Vieira, que estava sem perder há dez confrontos. Isso me passou muita confiança. Estou treinando com caras como o Charles do Bronx e o Felipe Sertanejo, estou confiante. Lógico, fico um pouco ansioso para estrear no UFC, mas me sinto preparado.”

Confiança não quer dizer desrespeito ou falta de humildade. Lucas sabe o oponente que terá de encarar dentro do Octógono, o lutador que protagonizou um dos nocautes mais bonitos na história da organização. Entretanto, acredita que muitos fatores podem pesar a seu favor para sair de São Paulo com o cartel limpo.

“Sou fã do Edson e comecei vendo suas atuações. É um atleta de trocação, assim como eu, então vamos sair na mão mesmo. Ele vem de derrota e sabe que se perder mais uma as coisas podem complicar para ele, rola uma pressão. Já eu não tenho nada a perder, então vou para cima, para a porrada”, encerra.

Dentro das grades tudo pode acontecer. Qual vai ser o resultado, quem vai vencer mais um desafio que promete grandes emoções? As respostas virão neste sábado.