Skip to main content

Gleison Tibau - Prometendo surpresas contra Caol Uno

Por Martins Denis

 

Imagine que você é um lutador de Jiu-Jitsu e a luta de chão é sua vida. Entre suas 20 vitórias antes de assinar com o UFC, mais da metade delas foram definidas por finalização.   

   

Nada errado até aqui, mas quando você veio para o UFC...em dez lutas você foi capaz de faturar seis vitórias, só duas por finalização e o resto por decisão, abrindo brechas para criticas e títulos como amarrão ou lutador chato.   

   

Ainda assim, você é atleticamente completo, capaz de aplicar quedas cinematográficas que abalam não apenas seus oponentes, mas as estruturas do octógono, então por que você não finaliza tanto?   

   

Tudo bem, saía da incomoda situação porque eu não quero te colocar contra a parede e vamos incluir o homem em questão, Gleison Tibau. O membro da American Top Team está no UFC desde 2006 e depois de dez lutas os fãs ainda esperam uma grande atuação coroada com uma finalização.   

   

"Acho que é injusto dizer que sou amarrão", diz Tibau. "Eu vou para cima dos meus adversários em todas as lutas - aplico quedas e tento finalizar, mas isso não é fácil no UFC. A categoria até 70kg é repleta de talentos e eles são completos com Boxe, Jiu-Jitsu e Wrestling. Você vê caras como o Melvin Guillard, ele não desenvolve o chão dele, ele desenvolve uma maneira de voltar em pé o mais rápido possível, evitando a luta no chão. As pessoas precisam entender que enquanto você está tentando finalizar, o cara está tentando te socar e aplicar cotoveladas. Eu me considero um cara com experiência no octógono suficiente para finalizar os oponentes, mas isso está relacionado com a defesa e a sorte deles. (Josh) Neer saiu para o lado certo quando eu encaixei um armlock".   

   

A luta do UFC 104 contra Neer em outubro passado foi o último desempenho de Tibau no octógono e se outra vitória por decisão é mais um motivo para tirar créditos dele, uma olhada no começo de sua carreira deve fazer sua mente mudar, especialmente quando você vê que Tibau foi capaz de finalizar um monte de gente quando ainda era um faixa azul, e ainda por cima dava trabalho para os faixas pretas que o encaravam. Se isso foi contra Paulo Boiko, que não quis lutar no solo em 2002, ou o campeão Mundial Fernando Tererê que quase foi pego com um armlock em 2003 ou sua finalização com um mata-leão sobre Fabricio 'Morango' Camões em 2005, a gente vê que o cara tem, desde o início, artifícios para finalizar e é claro que eles têm sido afiados desde aquela época. Mas Tibau diz que muita coisa mudou desde aquele tempo.   

   

"Quando eu lutei contra esses faixas pretas, eles não levaram fé nas minhas habilidades ou simplesmente não quiseram correr o risco, como o Boiko. De qualquer forma Tererê e Morango deixaram a luta fluir, eles não hesitaram em ir para o chão e eu tirei vantagem disso".   

   

Tibau não esqueceu como se finaliza; isso é um fato. Porém se ele ainda não teve o desempenho que poderia colocá-lo no mapa, ele nos impressiona a cada tentativa de queda, quando ele levanta seus oponentes como se fossem folhas de papel e os crava no chão. Esse atributo é mais um que ele traz do começo da carreira, quando estava sob a tutela do ex-peso pesado do UFC, Assuério Silva, e do lendário lutador nordestino, Jalmir 'Buda' Ferreira, no final dos anos 90.   

   

Aqueles treinos em Mossoró, Rio Grande do Norte foram a base para criar uma máquina de quedas, capaz de derrubar duros wrestlers como Tyson Griffin e deixar a impressão que ele treinava isso há muito tempo.   

   

"Buda tinha aquele talento natural de aplicar e defender quedas, eu peguei isso dele. Quando eu fui para o Rio de Janeiro e comecei na Nova União, dois grandes nomes do Wrestling nacional treinavam lá, Antoine Jaoude (Atleta Olímpico e lutador de MMA) e Beto Leitão Filho (Medalha de ouro no Pan Americano de 1987), eles me ajudaram a adicionar força e velocidade ao meu Wrestling".     

   

Com a qualidade nos aspectos de luta que são a chave para começar 2010 com muitas vitórias por finalização, Tibau surpreende ao dizer qual tipo de estilo ele vai adotar agora. Enfrentando o difícil de ser batido Caol Uno hoje em Charlotte, NC, o lutador de 26 anos quer arrasar seu oponente - mas não será no chão.   

   

"Eu olhei para as minhas lutas, sei que eu posso fazer combates para agradar o público e tenho certeza que o Uno é esse tipo de lutador também", ele disse. "Eu quero ser visto como um lutador completo como o restante da categoria leve e eu me foquei muito mais na luta em pé para meu próximo compromisso. A ATT tem o nível no Muay Thai e no Boxe que são necessários para melhorias e isso é que eu estarei indo fazer, nocautear o Uno".   

   

É uma boa maneira de calar boca dos críticos, mas não é tão fácil assim de ser atingida. Uno só foi derrotado por TKO/KO pelas mãos de atletas que reconhecidamente batem pesado como Norifumi 'KID' Yamamoto, Joachim Hansen, Hermes Franca e BJ Penn. Porém Tibau insiste que a melhor forma de se tornar um contender é trazendo uma surpresa recheada de punhos.   

   

"Na minha última luta eu mostrei que posso fazer isso quando acertei uma boa combinação no rosto do Neer, mas eu não estava tão bem quanto estou agora. Se eu conseguir a mesma abertura contra o Uno eu vou aproveitar, não vou partir para a queda logo em seguida. Meu Boxe será uma resposta para os que duvidam de mim e uma evidência que o Gleison Tibau de 2010 chegou para surpreender".   

 

Se mantenha ligado.