Skip to main content

Gasparzinho vs. Jason, o polêmico duelo

Taticamente perfeito, com cada comandando cumprindo sua missão e
conquistando vitória após vitória com marca de 5-0 no placar. Esse é o
Time Vítor, que vem agindo estrategicamente desde segundo episódio, onde
os treinadores possuem o direito de escolher ou a primeira luta ou o
primeiro lutador, e o ex-campeão meio-pesado do UFC optou por dar as
cartas no casamento da lutas.

A alternativa se mostrou eficiente, e mesmo o Time Wanderlei compondo seu esquadrão com o benefício da primeira escolha, nenhum deles ainda conseguiu alcançar um triunfo. Aliado a isso, as observações que Vítor e seus técnicos auxiliares andam fazendo sobre seus representantes, encaixam atletas com jogos distintos e com uma espécie de antídoto para tudo que vem da equipe adversária.

Mesmo em duelos toma-lá-da-cá disputados no TUF Brasil, o emparelhamento baseado na análise do Time Vítor tem surtido o efeito desejado. Até naquelas lutas que dividiram a opinião dos espectadores sobre quem deveria ter o braço erguido, os atletas da equipe verde sempre obtiveram o detalhe a mais para convencer os jurados ao final dos dois, ou até dos três rounds.

Entretanto, o que mais chamou a atenção no último episódio (sexto da temporada) além da vitória de Hugo "Wolverine" Viana sobre Marcus Vinicíus "Vina" Pancini por decisão unânime, foi a confirmação da última quarta de final dos penas. Nesse encontro, marcado para o próximo domingo (6/5), Rony "Jason" Mariano enfrentará seu amigo pessoal Anistávio "Gasparzinho" Medeiros.

Se a dose de polêmicas ainda estava rolando comedidamente, a luta entre Gasparzinho e Jason promete mudar a velocidade neste quesito. Os fãs que ficaram antenados no episódio seis do TUF Brasil perceberam o quanto a situação incomodou alguns participantes, o capitão da equipe azul, Wanderlei e, é claro, os dois envolvidos no duelo que fecha a primeira rodada para os lutadores até 66 quilos.

Para os fãs recentes do UFC, é preciso salientar que na cultura dos brasileiros, embates entre parceiros (e ex-parceiros) de treinos sempre geraram muita controvérsia. Alguns estrangeiros também não simpatizam com a ideia. Desde os primórdios do esporte, toda a vez que cogitavam um combate nessas dimensões, a maioria já torcia o nariz para a possibilidade, fazendo com que alguns promotores se desdobrassem para que grandes lutas acontecessem. Mas, com a evolução do MMA, o profissionalismo tem falado mais alto e se um lutador pretende subir nos rankings e conseqüentemente disputar um cinturão, essa hipótese precisa ser considerada.

Em casos recentes, não apenas envolvendo brasileiros, Rashad Evans e Jon Jones declararam que nunca se enfrentariam. Mudanças no panorama da categoria meio-pesado forçaram Rashad a deixar a equipe onde os dois treinavam e na sequência dos acontecimentos houve a luta no UFC 145. O próprio técnico do TUF Brasil Vítor Belfort treinou com Anderson Silva, deixou a equipe, emplacou cinco vitórias seguidas e ficou na posição de desafiante ao cinturão peso médio no UFC 126. Na época tal acontecimento gerou inúmeras alegações, positivas e negativas.

No reality show do TUF Brasil não é diferente, e apesar de Gasparzinho ter incomodado Jason em um dos episódios, o duelo entre os dois causou aborrecimentos. Ambos não se conformaram, mas sem escolha terão que se enfrentar. Vítor deu sua visão sobre o duelo.

"Eu não sabia nem muito da amizade deles, eu não tô preocupado, na realidade isso aqui quando, 'Ah você é meu amigo', pra mim eu sou amigo de todos aqui." Comentou Belfort.

Claramente chateado com o casamento do último embate peso pena das quartas de final, Wanderlei chamou Gasparzinho para uma conversa onde este também expressou seu descontentamento. O técnico do grupo verde apontou para o que deveria ter sido adotado.

"Se fosse uma final, na final, não tivesse mais saída, tudo bem", disse um irritado Wand. "Agora vai casar amigo com amigo, vem com essa politicagem, essa falsidade, p****, o cara ta na maior caô. Falar é fácil né [Renato] Babalú? Até papagaio fala, quero ver fazer". 

A eminência de lutar contra um parceiro ou ex-parceiro de treinos no território brasileiro é raríssima, por causa das aspirações internacionais dos atletas tupiniquins. No TUF Brasil, a idéia é a mesma para todos, colocar seu nome na história como o primeiro "Ultimate Fighter Brasil", fechar seu desejado contrato e enfrentar os melhores até ter a chance de se tornar um desafiante ao cinturão. Portanto, é preciso considerar todas as alternativas em busca do seu sonho e com isso surgem os questionamentos...

O que você achou da situação que culminou com Gasparzinho e Jason lutando? Como você reagiria diante desse caso? Opine!