Skip to main content

Entrevista pós-luta com Rony Jason

O sétimo episódio do TUF Brasil foi quente. O combate entre os amigos Rony Jason e Anistávio Gasparzinho despertou a expectativa do público e a ira de Wanderlei Silva contra Vitor Belfort.

Dentro do Octógono, a ação da luta Rony Jason vs Anistávio Gasparzinho durou pouco: Jason finalizou Gasparzinho nos primeiros minutos. Confusão maior foi ao fim do combate, quando o capitão da equipe de Rony, Wanderlei, não poupou Belfort pelo fato de colocar os dois companheiros em confronto.
 
"Fiquei também muito triste pelo Vitor ter casado esta luta", comenta Jason. "O Vitor já sabia que éramos amigos antes de casar as lutas. Eu mesmo disse à ele, depois de uma situação que não gostei, que lutaria com qualquer um do time dele, menos com o Gaspar. Ele fala que quer quebrar paradigmas, diz essas coisas... Veja o que ele fez com o Anderson Silva: o Vitor treinou no Team Nogueira e, logo que saiu, desafiou o Anderson pelo cinturão. Tem gente que não se importa com isso, mas, pelo menos na minha equipe e onde já treinei, temos a ética de não lutar contra amigos de treino. Ali a gente trabalha junto e cria um vínculo muito forte. Ainda bem que o Vitor não casa as lutas no UFC, se não ele colocaria o Minotauro contra o Minotouro!", completa.
 
Independentemente de quem está certo ou errado, a verdade é que a discussão entre Wand e Belfort colocou fogo na disputa entre as equipes. O triunfo de Rony deu ânimo ao time azul, a primeira vitória depois de cinco derrotas contra a equipe de Belfort. A atitude de Wanderlei foi aprovada pelos seus comandados.

"O Wanderlei é um cara mais puro de coração. Tenho uma grande admiração pelo Vitor como atleta, mas na casa, pelo menos, ele deixou algumas coisas a desejar. Talvez também não tenha agradado a ele em algo, acho que nada impede de sermos colegas, mas fiquei muito triste pelo Vitor ter casado esta luta."

Das 10 vitórias (e três derrotas) que possui no MMA, Jason venceu nove no primeiro assalto, da mesma forma que aconteceu contra Gasparzinho. O triunfo mais demorado do lutador foi na sua estreia, em 2006, no segundo round. Ou seja, Rony entra sempre para decidir. Ele explica de onde vem essa gana:

"Sempre me inspirei no Mike Tyson, ele era um cara que entrava para definir, e vou sempre procurar o nocaute ou a finalização. Graças a Deus, os treinos deram resultado e consegui vencer a maioria das vezes no primeiro round. Tento acabar as minhas lutas o mais rapidamente possível. Eu sinto o risco a cada minuto, então, quanto menos tempo precisar ficar ali dentro, melhor."

Outra peculiaridade de Jason é a habilidade de finalizar. Contra Gaspar, ele usou uma chave de braço, o armlock, e, em sua caminhada até a desejada final, ele quer manter a média. No seu cartel oficial, estão computadas sete finalizações.
  
"Minha especialidade é realmente o Jiu-Jitsu. Aperfeiçoei por muito tempo com os professores João Paulo Freire e João Paulo Marques, no Rio Grande do Norte, e com o Everaldo Penco, no Rio de Janeiro", encerra.