Skip to main content

Dan Hardy: Um golpe

Por Elliot Worsell

 

Se lutas fossem decididas por votações, Dan 'The Outlaw' Hardy poderia ser aconselhado a nem aparecer na noite de sábado. Dê uma olhada no website do UFC.com e você vai descobrir que apenas 10% dos fãs do UFC dão a Hardy uma chance de ser campeão nesse fim de semana. Pare e pergunte a 100 pessoas nas ruas de Nova Jersey e apenas 10 irão apontar 'The Outlaw' como vencedor na luta contra a super estrela P4P, Georges St-Pierre, em Newark.       

         

"Ser considerado o azarão nessa luta é exatamente a posição que eu quero estar", diz Hardy de Nottingham, primeiro Britânico para competir pelo cinturão no UFC 111.       

         

"Se eu estou em busca de ir a diante na minha carreira e chegar ao topo, eu vou precisar ser o azarão em algumas lutas. Isso só mostra que você está correndo riscos e está disposto a enfrentar os melhores lutadores do mundo. Eu deveria estar sempre lutando com caras que são considerados melhores do que eu. No momento em que você luta com caras que são piores do que você, você pode acabar se desmotivando".       

         

O inglês Hardy é o tipo de personagem que não se importa em ver más notícias, enquetes ou previsões sinistras. Enquanto estão falando dele, o herói de Nottingham tem um motivo para treinar, conversar e mostrar seu moicano pintado de vermelho. Um mestre na autopromoção, Hardy foi projetado para eventos como o da noite de sábado.       

         

"Eu gosto da atenção este tipo de luta traz", Hardy diz com uma risada. "Eu gosto de estar envolvido em grandes eventos que as pessoas falam. Se eu estou dando duro enquanto estou treinando, eu gostaria que fosse por uma boa razão. Sabendo que todo mundo estará assistindo a esta luta, torna o combate ainda mais fácil para entrar motivado e treinar duro.       

         

"Eu sei que todos os olhos estão em mim para esta luta e, ao invés de sentir qualquer pressão adicional, apenas me sinto com uma animação extra. Se eu não der o meu melhor, o mundo inteiro me verá falhando na tentativa de proporcionar uma boa luta. É meu trabalho garantir que tudo está no lugar para eu fazer meu trabalho e chocar o mundo na noite de sábado".       

         

Hardy se promove com o mesmo rigor que acerta a cabeça de seus oponentes. Hardy pode falar de uma grande luta e pode mostrar uma autoconfiança que faz com que quem não acredite, passe a acreditar. Ele se diverte nas conferências de imprensa antes das lutas e quando é entrevistado. Ele pertence ao grande palco.       

         

No entanto, enquanto muitos fãs do UFC admitem que sorrir sempre como Hardy, é cuspir veneno em futuros adversários, eles ainda não têm certeza se ele merece estar no octógono com St-Pierre, na noite de sábado. Hardy sabe disso.        

         

"Eu gosto de ler o que as pessoas pensam sobre minhas lutas", Hardy disse. "Gosto de manter o contato com o que os fãs dizem, lendo diversos sites e fóruns. As pessoas são livres para dizer o que quiserem. Isso não me afeta, seja ela positiva ou negativa. Eu levo tudo o que eu leio como um ingrediente e acho ótimo que muitos fãs de MMA estão falando sobre este grande esporte.       

         

"Eu não me importo se todos pensam que vou perder. Estou confiante no que posso fazer e - sendo honesto - os fãs não sabem o que se passa dentro da minha cabeça ou como eu treinei para a luta. Eles têm apenas a impressão do lutador, o que é bom".         

         

Desde que fez sua estréia no UFC em outubro de 2008, o britânico ganhou quatro lutas seguidas no UFC, batendo Mike Swick, Marcus Davis, Rory Markham e Akihiro Gono. Ele trocou farpas com seus adversários antes de cada uma dessas lutas, e fez as ostentações deles serem as certas com socos e chutes.         

      

Apesar de superar cada um dos que cruzaram o seu caminho até agora, Hardy admite estar decepcionado com os desempenhos dentro do octógono.       

         

"Eu não gosto de ter nenhuma vitória por decisão, como as do meu cartel", afirma Hardy, que venceu três vezes por decisão em sua carreira no UFC. "Eu nunca fico contente quando uma luta minha vai para a decisão. Meu trabalho ir até octógono e bater em alguém. Esse é meu foco antes de uma luta. Eu nunca entro no octógono apenas com a intenção de fazer o suficiente para faturar uma vitória por decisão.       

         

"Se a luta vai para a decisão, eu não fiz meu trabalho corretamente. Eu não acho aceitável lutar por 15 ou 25 minutos e depois esperar a decisão no final de tudo isso. Eu preciso começar a derrotar esses atletas. Fico frustrado porque sei que tenho a capacidade de dar cabo de cada um deles".       

         

Era esperado que Hardy perdesse tanto para Swick, quanto para Davis, e não ele era considerado favorito contra Markham e Gono. Ele ainda não entrou em um combate do UFC como 'o cara'. No entanto, apesar de fazer piada por nunca lhe darem vantagem antes das lutas, Hardy não prevê um momento em que ele vai ser apontado como provável vencedor de uma luta.       

         

"As pessoas sempre me subestimam, até que entram no octógono comigo", diz o destaque da equipe Rough House. "Mike Swick admitiu que ficou chocado com o quão bom eu era. Ele não esperava que fosse se desenrolar daquele jeito.       

         

"A única forma de deixar de ser considerado o azarão é quando eu tiver o cinturão e chegar ao topo. Mesmo assim, eu provavelmente ainda serei questionado em lutas contra caras como Thiago 'Pitbull' Alves e Jon Fitch. É assim que o mundo funciona. Você tem que se provar contra todo mundo durante um período de tempo. Eu sei o que é isso e estou mais do que pronto para provar".       

         

Alguns combatentes entrariam em colapso sob a pressão de ser sempre o azarão. Auto-dúvida viria e eles começariam a questionar se os fãs e críticos estavam, de fato, corretos em suas previsões. É ai que Hardy define-se como diferente da maioria dos outros lutadores no UFC. Ele consegue drenar satisfação de comentários negativos como faz com os positivos. E não pense por um minuto que Hardy inveja a posição de favorito de St-Pierre antes da luta.       

         

"Ele (St-Pierre) sabe que tipo de pressão está sobre ele", acrescenta Hardy, 23-6 (1 NC). "Ele é o favorito 8 / 1 para vencer essa luta, no momento, e penso que isso apenas coloca mais pressão sobre ele. É previsto dele ir lá e me derrotar. Ele tem que ir para o octógono com o mundo inteiro assistindo e ele tem que me vencer de forma impressionante. Ele não pode se dar ao luxo de ter outra noite ruim. Ele teve uma contra Matt Serra, e todos nós sabemos o que aconteceu lá. Ele sabe que pode acontecer - aconteceu antes - e ele vai estar sentindo esse tipo de pressão novamente desta vez. Eu tenho permissão para simplesmente ir lá e me divertir".       

         

Admitindo que precisa estar "100% melhor" do que foi na última vez contra Swick, não pense que Hardy não está sentindo a pressão. O striker de Nottingham acredita totalmente que tem a mentalidade para se tornar campeão meio médio do UFC. Nada além de vitória na noite de sábado será julgado como uma decepção para o ambicioso Hardy.      

         

"Eu sei que posso ganhar a luta em pé", disse Hardy. "Eu sei que posso nocauteá-lo. Esse é o meu jogo! Embora todo mundo ache que a trocação do GSP seja maravilhosa, ele só é eficaz com a trocação porque ele é muito bom no wrestling. Ele usa seu wrestling para encaixar alguns golpes e criar espaços. Ele não é um striker particularmente bom. Quanto mais tempo a luta ficar em pé, melhores serão minhas chances de colocá-lo para dormir.       

         

"GSP e seus fãs vão pensar que ele pode lutar em pé comigo, mas eles rapidamente vão encarar a realidade uma vez que eu o acerte algumas vezes e ele comece a balançar. Assim ele vai perceber que não pode trocar comigo.       

         

"Ele enfrentou grandes strikers como Thiago no passado, mas simplesmente controlou com seu wrestling. Ele foi capaz de fazer o Thiago ficar cauteloso com as quedas e isso acabou com a capacidade de trocação do Thiago. GSP não tem o conhecimento técnico em pé para realmente trocar com um adversário e controlá-lo em pé. Ele precisa se manter buscando quedas e controlar o seu adversário no chão".       

         

As recentes defesas de título de St-Pierre foram registradas como manifestações no controle e domínio absoluto. Quando suas vantagens são tão boas como St-Pierre, você faz tudo para seu adversário lutar contra o seu tipo de luta. Ele fez isso com maestria tanto contra Jon Fitch e, em seguida, contra Thiago Alves, aperfeiçoando a arte de fazer adversários muito bons parecerem terrivelmente comuns.       

         

Embora igualmente impressionado pelo jeito que GSP tem a divisão até 77kg em suas mãos, Hardy tem uma observação diferente sobre as recentes apresentação do campeão.       

         

"Ele (St-Pierre) está muito mais cauteloso e muito mais consciente dos perigos de estar em uma trocação com um adversário", avalia Hardy. "Ele também está ciente da rapidez com que uma luta pode mudar com um soco. Se você olhar para seu desempenho recente, você verá um homem que está preocupado em entrar no raio de ação e trocar socos com um adversário. Ele escolhe seus golpes com muito cuidado, fica fora de alcance e tenta a queda. Esse é o plano e ele segue isso ferrenhamente.       

         

"Sei que ele não vai querer ficar e trocando comigo, seria me dar vantagens, para ser honesto, seria um desastre previamente anunciado."       

         

Tendo acompanhado e estudado a carreira de St-Pierre há muitos anos, Hardy notou mudanças no canadense.       

         

"Eu acho que agora ele é mais realista sobre o que ele pode e não pode fazer dentro do octógono", Hardy propõe "A derrota para o Serra abalou e obrigou ele a analisar seus próprios pontos fortes e fracos como um lutador. Ele está ciente desses problemas e agora, como resultado, é muito mais cuidadoso e prudente quando luta. Isso é o que funciona para ele. Faz a luta menos interessante e em ritmo mais lento, mas ainda tem muita habilidade e disciplina da sua parte. Ele ainda está vencendo.       

         

"Quando ele entrou em cena, ele era muito mais dinâmico, explosivo e impressionante, mas foi uma decisão dele".      

         

Hardy admite que existe uma boa chance de ser levado para baixo, em algum momento, no sábado, ele também está ultra-confiante em sua habilidade de derrubar St-Pierre - com um chute devastador no queixo, ou na cabeça.       

         

"Eu vou machucá-lo em algum ponto nessa luta", ressalta Hardy. "Estou 100% confiante que ele vai se machucar em algum momento nesta luta. Eu não acho que precisarei acertá-lo em cheio no queixo. Posso atordoá-lo com algo que pegue na cabeça dele. Eu tenho o poder para apagar as luzes dele. O tipo de golpe que eu acertei o Swick pode acabar machucando o GSP. Eu não precisarei acertar uma grande seqüência pra colocá-lo em apuros. Ele terá que ser muito cauteloso na trocação comigo.       

         

"Estou batendo mais pesado do que nunca agora, e sei que um soco pode ser o suficiente. Infelizmente para GSP que eu também adquiri os conhecimentos necessários para colocar as combinações em conjunto e conseguir 'o golpe'".