Skip to main content

Aguarde o inesperado de Paulo Thiago

Por Martins Denis

   

Toda vez que o brasileiro Paulo Thiago entra no octógono, as comparações entre as duas vidas que ele tem vêm à tona. E ainda que as diferenças entre a sua vida como lutador e o seu trabalho como um policial sejam grandes, existem similaridades suficientes para que as comparações continuem existindo.   

   

Na MMA é preciso tomar cuidado com novas técnicas, planos de jogo e qualquer outro truque, pois é importante que seu adversário não descubra, para não ter nenhum tipo de vantagem no confronto. Como um policial, a mesma estratégia funciona, mas como Thiago gosta de manter esses aspectos da sua vida em segredo, a curiosidade é ainda maior.   

   

"Há aspectos no trabalho de um policial que são extremamente privados e por conta disso eu prefiro não fazer comentários". E o mesmo funciona para a  MMA, segundo ele, mas as questões não o incomodam.  "A curiosidade é muito normal para as pessoas. De fato, existem muitos pontos em comum entre os dois e eu tento tirar o melhor de cada um deles".   

   

Mas Thiago irá mostrar um pouco de uma das metades da sua vida profissional. O meio-médio, nascido em Brasília há 29 anos e membro do Constrictor, visita o Rio de Janeiro constantemente para treinar na equipe de Minotauro e uma vez na Nova União, vivendo uma rotina diferente da que se acostumou. Apesar do novo local de treino, Thiago garante que prefere Brasília.   

   

"Eu nasci aqui, minhas raízes estão aqui e é bem improvável que eu mude completamente para outro lugar. Além disso, abandonar minha equipe seria como abandonar minha família - não apenas por questões sentimentais, mas também por conta do alto nível técnico, facilidades, preparação física, técnicas, etc. O Constrictor tem tudo que um atleta da MMA precisa para ficar aqui".     

   

A lealdade de Thiago por suas raízes lembra os momentos difíceis da sua carreira, quando era apenas um garoto magricelo sem seu real recorde no MMA online. Mas com muito trabalho, uma grande equipe e uma ótima atitude, dá para entender o que motivo o lutador a ter ligações fortes com os que estiveram com ele desde o começo.   

   

"Eu lembro da época dos torneios de Jiu-Jitsu no Brasil. Ataíde Jr. (Líder da equipe) viajou com os alunos para outros estados e, muitas vezes, sem suporte, viajando de ônibus e comendo em rodoviárias. E todo aquele esforço foi recompensado. E mesmo que ainda façamos alguns sacrifícios, eles são gratificantes".   

   

Todo esforço e seus benefícios estão estampados em cada uma das quatro lutas de Thiago no UFC e ele sempre faz questão que todos saibam disso. Melhorias em todos os aspectos do seu jogo são percebidos não apenas pelos que o vêem lutar, mas também pelos que estão ao seu lado todo dia.   

   

"A autoconfiança é fundamental. Uma vez que eu faço o que gosto, vou sempre fazer isso com prazer e isso me deixa confiante sobre o que devo fazer no octógono. Outro fator importante é a constante busca por melhorias. Eu sempre quero melhorar."   

   

Essa melhora em todos os aspectos é algo que todo atleta quer e a melhora muscular de Thiago é notória quando você compara uma foto do lutador antes da sua primeira luta no UFC e agora, enquanto ele se prepara para a sua luta no UFC 115, sábado, contra Martin 'The Hitman' Kampmann.   

   

"Isso é fácil de entender", diz ele sobre os novos músculos. "Eu sempre desenvolvi minha parte física com exercícios aeróbicos, então nunca havia feito treino com pesos. Então, quando comecei, o ganho foi muito alto".   

   

Com uma premiação de 'Finalização da Noite' sobre Mike 'Quick' Swick no UFC 109 em fevereiro, Thiago provou durante as suas quatro lutas dentro do octógono (Nocaute da Noite sobre Josh Koscheck, derrota por decisão para Jon Fitch e a vitória por decisão unânime sobre Jacob Volkmann) que tudo faz parte da sua caminhada para se tornar um lutador de muito sucesso.    

   

E apesar de ter começado no UFC como um 'invicto, mas não testado lutador', Thiago não deixou que isso o atrapalhasse. E ao enfrentar Kampmann, no que se espera ser uma grande luta, a questão não é se Thiago pode ou não vencer, mas - que novas habilidades ele mostrará durante a luta?